Pelé não responde bem a antibiótico e quadro é delicado

Pelé não responde bem a antibiótico e quadro é delicado

O quadro de Pelé se agravou na noite desta quinta-feira. Internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital Albert Einstein, em São Paulo, com uma infecção abdominal, o ex-jogador não respondeu adequadamente ao antibiótico utilizado no tratamento.

O uso do remédio foi uma tentativa de combater a bactéria que causou uma infecção no sangue de Edson Arantes do Nascimento. Já na madrugada de sexta-feira, a repórter Joanna de Assis trouxe as últimas informações de frente do hospital. A preocupação é com a possibilidade de uma infecção generalizada.

- Infelizmente, as notícias não são as melhores. O quadro de saúde de Pelé neste momento é considerado no mínimo delicado. Tem um quadro de gravidade. Ele foi internado na segunda-feira, com quadro de infecção urinária, só que esse quadro se agravou. A resposta ao antibiótico não foi a adequada, segundo os médicos - explicou a repórter do SporTV.

Aos 74 anos, Edson Arantes do Nascimento passou por uma intervenção cirúrgica para retirada de cálculos renais. Por conta de uma infecção na região abdominal, o Rei do Futebol precisou ser internado.

Desde a última segunda-feira, o ex-jogador recebe cuidados especiais da equipe médica do hospital Albert Einstein. Pelé chegou a passar mal em Santos, onde participaria de um evento no museu que recebe o seu nome.

- Essa internação na UTI, para que ele tome medicações ainda mais fortes, é para tentar combater essa bactéria. Obviamente, por causa das toxinas que são eliminadas pela bactéria o sangue foi infectado e os rins começaram a falhar.

Segundo o último boletim médico divulgado pelo hospital, Pelé está num tratamento de suporte renal, a hemodiálise, que é o uso de um aparelho para filtrar o sangue na tentativa de se eliminar essas toxinas que estão infectando o sangue. Pelé precisou também tomar medicação por apresentar um quadro de hipotensão, para controlar a pressão arterial - esclareceu Joanna de Assis.

As próximas 48 horas são consideradas fundamentais para o quadro. Os médicos consideram que a infecção precisa ser controlada nesse período, para que não haja piora. A principal preocupação é combater a bactéria, que teria chegado ao sangue, para evitar uma infecção generalizada.

O último boletim oficial, divulgado às 20h, informava que Pelé estava em tratamento renal, fazendo hemodiálise - o tratamento consiste em filtrar o sangue para combater a infecção.

- O que se espera é que ele responda a esse tratamento intensivo que é a mudança de antibiótico para que se combata essa bactéria que acabou se espalhando para o sangue. Esse quadro é bastante preocupante. Todo o trabalho dos médicos é combater essa infecção, por isso, as próximas 48 horas são de extrema importância para saber como esse quadro vai evoluir - informou a repórter.



G1