Paulino 'torce o nariz' para a tese de aliança do PMDB com os tucanos; 'Sou contra e pronto', diz

Paulino 'torce o nariz' para a tese de aliança do PMDB com os tucanos; 'Sou contra e pronto', diz

Se depender do ex-governador Roberto Paulino o “seu” PMDB não se aliará com o PSDB, conforme deseja do deputado Manoel Júnior, virtual candidato peemedebista a prefeitura de João Pessoa nas eleições do próximo ano.  “Não sou favorável a uma aproximação com o PSDB e demonstrei isso em 2014, quando fui voz divergente durante a discussão em torno deste o assunto no momento em que foi colocado à mesa”, justificou.

Mesmo depois de ter anunciado rompimento com o PSB, Roberto Paulino lembrou a aliança no plano estadual com o partido do governador Ricardo Coutinho, deixando claro que poderá haver entendimentos neste sentido. “Com o PT somos aliados do governo federal. O que pretendemos dizer com isso é que essa relação com esses partidos coloca o PMDB na condição de permanecer com dialogando”.

Adiantou que o PMDB precisa ter candidato a prefeito em todos os municípios, concordando com a tese do presidente do partido na Paraíba, senador José Maranhão. “Somos o partido mais forte dentre os que se colocam como protagonistas das eleições municipais”, disse. “Portanto, não temos tendência para sermos coadjuvante”, ressaltou.

Na verdade, o que Paulino quis dizer é que os peemedebistas não seguirão a reboque de ninguém, conforme termo utilizado durante entrevista na manhã desta segunda (29), após a reunião realizada na sede do PMDB, quando o encontro serviu para arrecifecer o clima gerado na semana passada entre os deputados Manoel Júnior e Gervásio Maia.  

Manoel Júnior ausente

Com tudo acertado com o vice-presidente Michel Temer e o senador José Maranhão – presidente estadual do PMDB -, o deputado Manoel Júnior jogou a “armadilha” e viajou para uma viagem oficial à Europa, não comparecendo a reunião da Executiva estadual do PMDB na manhã desta segunda (29). O provável candidato peemedebista a prefeitura de João Pessoa nas eleições do próximo não compareceu ao encontro.

A ausência, além da justificativa da viagem, também está sendo evidenciada por causa do compromisso de Temer e Maranhão com a (pré) candidatura de Manoel Júnior à sucessão municipal do principal colégio eleitoral do Estado.

 

 


Marconi Ferreira