Paraibano que vai presidir CPI recebeu dinheiro de empreiteiras envolvidas

Paraibano que vai presidir CPI recebeu dinheiro de empreiteiras envolvidas

Deputados escolhidos pelos partidos para apurar na Câmara Federal o esquema de corrupção na Petrobras receberam em 2014 R$ 1,9 milhão em doações eleitorais de empresas citadas na Operação Lava Jato e prováveis alvos da CPI criada para investigar os desvios.

Empreiteiras como Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS, UTC, Carioca Engenharia, Galvão Engenharia e empresas do grupo Queiroz Galvão doaram para 10 dos 15 deputados já indicados para a CPI, informa neste domingo o jornal O Estado de São Paulo.

Favorito para assumir a presidência da comissão, o peemedebista Hugo Motta (PMDB-PB), de 25 anos, teve cerca de R$ 455 mil (61%) dos R$ 742 mil de sua campanha custeados indiretamente por duas empreiteiras suspeitas.

Ele recebeu R$ 255 mil da Andrade Gutierrez via diretórios estadual e nacional do PMDB e por um repasse da campanha do candidato a deputado estadual Nabor Wanderley Nóbrega Filho (PMDB-PB), seu pai.

Outros R$ 200 mil vieram da Odebrecht, repassados a Motta pela direção nacional do PMDB. O deputado disse desconhecer as doações, ainda de acordo com o jornal.

 

 

 

*fonte: estadao