Paraíba é o sexto no país a criar Conselho que ajuda na segurança à população LGBT

Paraíba é o sexto no país a criar Conselho que ajuda na segurança à população LGBT

O governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), assinou na manhã desta quarta-feira (21) o decreto que cria o Conselho Estadual LGBT, e passa a ser o sexto, após o Rio de Janeiro, São Paulo, Pará, Mato Grosso do Sul e Goiás, a ter a representatividade para combater o preconceito e difundir o respeito a diversidade humana.

Para o presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL), Renan Palmeira, a decisão deixa claro que o combate a homofobia e a promoção da cidadania LGBT passa a ser política pública e como tal, o espaço do Conselho LGBT será para a formulação dessa política junto à administração pública e a sociedade civil organizada.

"A Paraíba está saindo do armário e está assumindo a luta contra a homofobia. Além da criação do Conselho, temos também o apoio a nossa campanha lançada no Estado no último dia 16 e a criação das celas LGBTs no nosso sistema penitenciário, como ações que estão sendo produzidas de forma pioneira, fortalecendo nossa luta", ratificou.

Incidente

Na sexta-feira (16) dia de lançamento da campanha, líderes do movimento LGBT paraibano foram à Câmara de João Pessoa com o objetivo de protocolar um ofício solicitando a cassação de títulos de cidadão pessoense a pessoas que propagam o ódio e o desrespeito a diversidade humana, através da homofobia, mas teriam sido barrados na entrada da Casa. Alguns denunciaram inclusive que teriam sido alvo de agressões.

Por conta desse incidente, o ofício com a solicitação do movimento LGBT só foi protocolado na terça-feira (20), quando o grupo foi recebido pela Presidência da Câmara da Capital que teria se comprometido em apurar os incidentes ocorridos na sexta-feira e abrir novos canais de diálogo para a promoção da cidadania LGBT. 

O presidente do Mel, Renan Palmeira, disse que a campanha lançada na sexta-feira referente ao mês internacional de combate à homofobia está com uma aceitação popular muito grande.

"Apesar de pessoas isoladas estarem criticando, estamos recebendo apoios. A repercussão está chegando a outros estados e até a outros países, como Portugal. Isso demonstra que estamos no caminho certo", enfatizou.

A campanha, conforme Renan, tem o objetivo de sensibilizar a população e conscientizar para o respeito e a dignidade humana. "Diante do ódio e do discurso fundamentalista que vêm matando e acabando famílias, nós propagamos o amor", reiterou.

Além de outdoors, a campanha contra a homofobia e pelo respeito à diversidade humana vem sendo difundida também na internet, através das redes sociais e do Youtube, na TV e no rádio. 

 

Portal Correio