Paraíba cresce 3,02% em contratações com carteira assinada

Paraíba cresce 3,02% em contratações com carteira assinada

Na última pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice de desemprego aumentou 8,7%, a maior taxa desde que o estudo passou a ser realizado, em 2012. Estima-se que atualmente mais de 8,8 milhões de pessoas estejam em busca de uma nova oportunidade de trabalho.

No entanto, o acumulado dos últimos 12 meses foi positivo para alguns estados, e as oportunidades de emprego aumentaram. De acordo com dados divulgados pela Relação Anual de Informações Sociais (Rais), o número de pessoas com carteira assinada na Paraíba cresceu 3,02%, o que equivale a mais de 19 mil vagas de trabalho geradas no período.

A construção civil é um dos setores que tem retraído no país e, segundo pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo, é esperado um corte de 556 mil vagas de trabalho em todo o país até o final de 2015. Porém, esse impacto não é sentido em todos os estados e algumas empresas paraibanas continuam contratando e, consequentemente, gerando emprego e renda.

De acordo com Jorge Bastos, gerente de obras da JCP Construções e Incorporações S/A, responsável pela obra do Solar Tambaú, um dos diferenciais é planejamento. "Com a data de entrega do empreendimento definida, elaboramos uma grade de funções que definiu a quantidade necessária de trabalhadores para cada atividade orçada. Assim sendo, antes do início dos trabalhos já tínhamos planejado nosso efetivo independente de crise financeira. Em referência ao ano de 2014, nosso efetivo dobrou e, no ano de 2016, deveremos contratar mais 50% do nosso efetivo de hoje", afirma.

Mas, não é apenas a construção civil local que está na contramão do setor. Empresas do segmento de saúde também estão expandindo enquanto a média nacional é de constante queda. De dezembro de 2014 a setembro de 2015, o Hapvida Saúde, por exemplo, cresceu 5,7% em número de vidas, o que reflete diretamente na contratação de trabalhadores e expansão da rede própria para atendimento dos pacientes. Em outubro desse ano, a empresa chegou a Campina Grande com o funcionamento 24h do Pronto-Atendimento Campinense, gerando, a princípio, cerca de 50 vagas de emprego na cidade.

Venda Direta é alternativa viável

Outro setor que tem crescido em época de crise é o de venda direta. Por não exigir experiência anterior e ter baixo investimento, com retorno rápido, o negócio tem se tornado uma alternativa viável para quem quer complementar a renda e entrar no mercado de trabalho ou até como única fonte de renda da família em época de desemprego​ alto.

Muitas profissionais conseguem atingir uma renda mensal capaz de responder pelo orçamento de uma família, com ganhos de cerca de 30% sobre os produtos.  A economista Albany Farias Formiga, por exemplo, abandonou a carreira anterior e iniciou o trabalho como consultora Natura, se tornando uma das que mais vende no Nordeste.

Seu segredo é fidelizar seus clientes e nunca gastar todo o lucro das vendas. "Pego uma parte do que ganho e reinvisto no negócio", diz a consultora, usando os conhecimentos de sua formação em economia. Albany não revela quanto ganha mensalmente, mas garante que consegue ter um padrão de vida confortável com a venda de produtos Natura, já tendo adquirido apartamento, carro e realizado viagens internacionais.

Muitos consumidores também preferem a praticidade de comprar os produtos sem precisar sair de casa, ir até o shopping ou procurar uma loja cheia de gente. "Para mim, é vantagem de tempo e de custo também. Eu ligo para minha consultora, digo o que estou querendo e ela traz o produto para mim, sempre me apresentando as novidades da marca", conta a médica Maria de Luna.

 

 

 

Assessoria