“Para falar comigo não precisa bloquear estrada”, diz Ricardo sobre o MST

“Para falar comigo não precisa bloquear estrada”, diz Ricardo sobre o MST

O governador Ricardo Coutinho (PSB) reagiu, na manhã desta segunda-feira (24), aos protestos do Movimento Sem Terra (MST), que desde as primeiras horas de hoje interdita várias rodovias federais da Paraíba. “Para falar comigo não precisa bloquear estrada”, afirmou o governador.

Os sem terra pressionam o governo federal para que reveja à medida que cortou pela metade o orçamento destinado à Reforma Agrária no país. Outra reivindicação é uma audiência com o governador Ricardo Coutinho para tratar do assentamento acauã, no projeto Várzeas de Sousa, Sertão paraibano

“quando se fecha uma estrada impede-se uma ambulância de transporta um doente; uma carga que passa dias nas rodovias de chegar ao seu destino; as pessoas de chegarem ao seu trabalho. Não tem justificativa para um setor que sempre teve as portas abertas comigo”, afirmou.

Ricardo acrescentou que as questões referentes ao assentamento acauã nas Várzeas de Sousa é de competência do Incra. Segundo ele, a infraestrutura da área direita das Várzeas de Sousa pertence ao Incra, portanto, é de responsabilidade do Governo Federal.

“O Governo Federal é que tem que colocar dinheiro, por que um estado como a Paraíba, que é pequeno, não pode estar assumindo tudo do Governo Federal. Então, vamos ter calma com as coisas e não atrapalhar a vida das pessoas. Se pedir sem atrapalhar nós recebemos. Agora, fazendo com que as pessoas paguem por uma questão que sequer é do Estado não é possível”, sustentou.

De acordo com informações, os protestos se concentram nas BR’s 101, 104, 230, 412 e 361. Na BR 101, o grupo interditou a rodovia na altura do km 108, em Mata Redonda, no município de Alhandra. Na BR-230 vários trechos da rodovia estão fechados. Segundo integrantes do movimento, outra reivindicação é a garantia da presidente Dilma de assentar 120 mil famílias até o final do seu mandato.

 

 

 

Cristiano Teixeira – MaisPB