Papa diz que Trump não é cristão por suas opiniões sobre imigração

Papa diz que Trump não é cristão por suas opiniões sobre imigração

Papa Francisco disse nesta quinta-feira (18) que o pré-candidato republicano à Casa BrancaDonald Trump "não é cristão" por causa de sua opinião sobre imigração. Mais tarde, Trump respondeu às afirmações do pontífice dizendo que se o Estado Islâmico atacasse o Vaticano, o Papa iria desejar que ele fosse o presidente dos Estados Unidos.

Em conversa com repórteres durante seu voo do México à Roma, Francisco foi questionado sobre Trump e suas ideias, como a de construir um muro entre o México e os Estados Unidos caso se torne presidente.

Durante sua campanha, Trump disse que construiria o muro para combater a imigração ilegal. Também disse que deportaria milhares de imigrantes ilegais caso ganhe as eleições.

"Uma pessoa que pensa apenas em construir muros, onde quer que seja, e não em construir pontes, não é um cristão", disse Francisco em resposta a uma pergunta sobre as opiniões de Trump. "Isso não está no evangelho".

 
 
 
 

Perguntado sobre se os americanos católicos deveriam votar em alguém com as ideias de Trump, o Papa disse: "Não vou me envolver nisso. Digo apenas que esse homem não é cristão se ele disse coisas como essas. Devemos ver se ele disse as coisas dessa maneira e nisso dou o benefício da dúvida", afirmou.

Papa Francisco encerrou nesta quinta sua visita ao México, onde criticou em sua última missa, em cidade na fronteira com os Estados Unidos, as políticas de imigração que forçam muitas pessoas a ilegalmente ficar nas mãos de cartéis de drogas e de contrabandistas de pessoas.

'Vergonhoso'

 
 
 
 

Em resposta à declaração do Papa, Donald Trump disse que é "vergonhoso" que um líder religioso questione a fé de uma pessoa e que, se o grupo extremista Estado Islâmico atacasse o Vaticano, o Papa iria desejar que ele fosse o presidente dos Estados Unidos.

"Se e quando o Vaticano for atacado pelo Estado Islâmico, o que todo mundo sabe que seria o seu troféu final, prometo a vocês que o Papa desejaria e rezaria para que Donald Trump fosse presidente, porque isso não aconteceria. O Estado Islâmico seria erradicado ao contrário do que está acontecendo agora com nossa conversa, nenhuma ação política", diz o comunicado.

"Sou orgulhoso de ser cristão e como presidente não vou permitir que o cristianismo seja constantemente atacado e enfraquecido, ao contrário do que está acontecendo agora com o nosso atual presidente", afirma Trump na nota.

O pré-candidato republicano também acusou do governo do México de fazer "comentários depreciativos" sobre ele para o Papa Francisco, "porque eles querem continuar explorando os Estados Unidos, tanto no comércio como na fronteira".

"O Papa só ouviu um lado da história - ele não viu o crime, o tráfico de drogas e o impacto econômico negavito que as atuais políticas têm sobre os Estados Unidos", diz.

 

 

G1