País fecha 169 mil vagas em outubro, pior resultado para o mês desde 1992

País fecha 169 mil vagas em outubro, pior resultado para o mês desde 1992

As demissões superaram as contratações em 169 mil vagas em outubro, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgadas nesta sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Este foi o sétimo mês seguido de fechamento de vagas formais.

O resultado de outubro foi o pior para este mês desde o início da série histórica, em 1992. Até então, o pior resultado para meses de setembro havia sido registrado em 1998 – com 64.093 vagas fechadas.

 

Demissões superam 818 mil no ano
No acumulado dos dez primeiros meses deste ano, ainda segundo os dados oficiais, foram fechados 818.918 postos com carteira assinada.

 

Foi o pior resultado para este período da série histórica disponibilizada pelo Ministério do Trabalho, que começa, para o período acumulado do ano, em 2002.

Também foi a primeira vez desde 2002 que o saldo ficou negativo para os dez primeiros meses de um ano. Os saldos de janeiro a setembro foram contabilizados após o ajuste para empregos declarados fora do prazo, e o mês de outubro ainda está sem ajuste.

 

Em 12 meses, mais de 1,3 milhão de empregos perdidos
Ainda na série com ajustes, o Ministério do Trabalho informou que houve o fechamento de 1.381.992 postos de trabalho nos 12 meses encerrados em outubro deste ano.

 

"Com esta diminuição, o estoque de empregos para o mês de outubro de 2015 (40,387 milhões) ocupa a terceira posição no ranking, sendo inferior ao estoque de outubro de 2014 (41,769 milhões) e ao estoque de outubro de 2013 (41,223 milhões)", informou o Ministério do Trabalho.

 

Setores
De acordo com os números do governo, todos os setores da economia demitiram no mês passado. O setor de construção civil, por sua vez, foi responsável pelo maior corte de vagas em outubro: foram 49.830 postos perdidos no período.

 

Em segundo lugar, aparece a indústria de transformação, com 48.444 demissões em outubro, seguida pelos serviços, com 46.246 vagas fechadas no período. A agricultura, por sua vez, fechou 16.958 postos formais em outubro, e o comércio fechou 4.261 vagas formais. A indústria extrativa mineral demitiu 1.413 pessoas.

Na parcial deste ano, porém, a indústria de transformação continua liderando a perda de empregos formais. De janeiro a outubro, este setor demitiu 336.437 trabalhadores, seguido pela construção civil, com 253.226 postos fechados.

Já o comércio demitiu 239.293 pessoas nos dez primeiros meses deste ano, e o setor de serviços dispensou 76.281 trabalhadores. A indústria extrativa mineral demitiu 10.955 pessoas no acumulado de 2015, mas a agricultura e a administração pública registraram aumento de empregos de, respectivamente, 90.784 e 11.769 trabalhadores.

 

Regiões do país
Houve fechamento de vagas em todas as regiões do país em outubro. No mês passado, o Sudeste registrou o pior resultado, com 97.384 vagas a menos.

 

No Sul, foram cortados 21.422 postos, enquanto o Nordeste registrou perda de 17.630 empregos com carteira assinada.

Já na região Centro-Oeste e Norte, respectivamente, foram demitidos 16.435 trabalhadores  e 16.260 empregados com carteira assinada em outubro, segundo o Ministério do Trabalho.

Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro foram os que mais fecharam vagas no mês, com um saldo de demissões de 50.423; 24.502 e 19.088, respectivamente.

 

 

 

G1