Pagamentos efetuados pela prefeitura em Diamante são questionados por vereadores durante sessão na câmara

Pagamentos efetuados pela prefeitura em Diamante são questionados por vereadores durante sessão na câmara
 Durante sessão ordinária da Câmara Municipal de Diamante, realizada neste sábado (10), os parlamentares-mirins locais aproveitaram a oportunidade para prestar homenagens às mães pelo seu dia, que é lembrado neste domingo (11). Logo em seguida, o plenário da Casa retomou os debates de matérias importantes para o município, notadamente com críticas à atual gestão municipal.
O vereador/presidente Alan Deivid (PT), por exemplo, fez duras críticas ao fato do secretário municipal de Administração por ter fugido do debate ao não esclarecer o pagamento de R$ 35.000,00 mil efetuado à uma empresa privada pela prefeitura pela construção de estradas vicinais, já que o município possui maquinário para tanto. O que é um absurdo, além de desfaçatez com o bom senso. Segundo Alan, a prefeitura também empenhou no mês de fevereiro passado R$ 57.000,00 mil para gastos com combustíveis. E, ainda, paga R$ 6.000,00 mil/mês pela locação de uma caçamba, sendo que a edilidade recebeu recentemente um veículo do tipo do Governo Federal, através do PAC. 
Tentando fugir das críticas, o secretário de Administração direcionou críticas a administração da câmara no que foi prontamente rebatido pelo próprio presidente. "Sou ficha limpa, não respondo processo na Polícia Federa como Vossa Excelência por fraudes em licitações", disse. Alan Deivid, ainda na sessão, apresentou requerimento pedindo que a câmara encaminhe ofício à Energisa para prestar explicações sobre as constantes interrupções do fornecimento de energia elétrica em Diamante, como ocorrido nos dias 20 e 21 de abril e 8 de maio passado.
Já o vereador Fonseca apresentou requerimento solicitando que o Executivo adote as providências para pagar aos agentes de combate à endemias a gratificação de insalubridade, no percentual máximo de 40%, conforme determina o art. 1º, I, "O", da Lei Municipal nº 337/2013. Também foi apresentado Projeto de Lei Complementar (PLC) concedendo reajuste ao magistério municipal, alterando o anexo V da Lei Complementar nº 06/2013. 
 
Fonte: RP