Padastro mata bebê a chutes porque a criança acordou chorando

Padastro mata bebê a chutes porque a criança acordou chorando

Gilmar Macedo (ao centro), de 20 anos, foi preso após confessar ter matado o enteado, Victor Hugo, de apenas um ano, por ter ficado irritado com o choro da criança. "Ele não me deixou dormir. Eu fiquei descontrolado e dei um chute nele", afirmou à reportagem.

Macedo vivia com Laura, a mãe da criança, havia quatro meses. O crime ocorreu por volta das 4h30, quando a mãe saía para trabalhar. Ao perceber que, após a agressão, o menino estava inconsciente, Macedo ligou para Laura e disse que Victor Hugo tinha caído do berço. Ele acrescentou que a criança bateu com a barriga na ponta de um ferro de passar.

Com a ajuda do tio, Macedo ainda levou Victor Hugo para um hospital. Lá, contou a mesma história do ferro de passar. Mas os médicos desconfiaram e chamaram a polícia. Moradores da Favela do Murão, em Carapicuíba, onde Laura e Macedo moravam, nem percebem quando o rapaz saiu de casa com a criança.

Ao saberem do caso, os moradores ficaram indignados. "Foi ridículo o que ele fez", disse a vizinha. Outros moradores afirmam que, diante da vizinhança, Macedo parecia um bom padrasto. "Mas, na casa dele, a gente não sabe", disse essa outra vizinha. 

Foi no 1º DP de Carapicuíba que Laura contou ter recebido o telefonema de Macedo alegando que Victor Hugo havia caído sobre um ferro. Após prestar depoimento, ela não foi mais vista na cidade.

Ao ser preso, Macedo se disse arrependido. Ele afirmou que ama Laura e mandou um recado a ela: "Eu errei. E sei que não tem volta mais", disse.