“Pacote requentado não resolve’, diz Cássio sobre medidas de Dilma

“Pacote requentado não resolve’, diz Cássio sobre medidas de Dilma

O líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PB), fez contundente discurso em Plenário, nesta quinta-feira (19), em relação ao desmantelo do governo federal.  O senador advertiu que a crise tende a se tornar mais aguda, porque “o governo não consegue se encontrar, nem olhar para a cara do povo brasileiro, tamanhas as mentiras apregoadas durante a campanha eleitoral”.

“As pessoas não engolem mais pacote requentado.  As pessoas querem providências. As pessoas querem ação.  As pessoas querem aquilo que o Brasil hoje, infelizmente, não tem: as pessoas querem governo” – disparou.

Quebraram o país

 Cássio citou o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que, conforme disse, foi usado para vender ilusão a milhões de jovens “a fim de se ganhar uma eleição”. Agora, conforme o parlamentar, o governo adota a “desculpa esfarrapada” de que o site do programa está com problema, mas, na verdade, “quebraram o país e não há mais dinheiro para financiar os estudantes”. Problema idêntico, ainda de acordo com o senador, aconteceu com as famílias beneficiadas pelo Minha Casa Melhor e pelo Pronatec, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego.

Cássio afirmou que, no Nordeste, as famílias mais pobres já começaram a bater nas portas das prefeituras pedindo comida, “porque a inflação corroeu o poder de compra do Bolsa Família”.

– Enquanto o governo do PT não reconhecer essa realidade e se aproximar do Brasil real, seguramente vai se afundar cada vez mais, porque não há mais economia para sustentá-lo – afirmou o senador.

Investigação

 Cássio Cunha Lima debateu com os senadores Jorge Viana (PT-AC) e Donizeti Nogueira (PT-TO) as investigações em curso sobre atos de corrupção no governo. O líder do PSDB contestou a versão de parte do PT de que a corrupção existia em administrações anteriores, mas não era investigada:

– Vamos colocar as coisas nos seus devidos lugares: foi a Constituição de 1988, que eu tive a honra, inclusive, de ajudar a escrever – a Senadora Lúcia Vânia, da mesma forma –, que criou o Estado democrático de direito, que permite, hoje, instituições funcionarem. Pelo amor de Deus! A Polícia Federal não foi criada pelo presidente Lula. A Polícia Federal, pelo contrário, foi fortalecida durante o governo também do presidente Fernando Henrique Cardoso, como o Ministério Público ganhou todas as suas atribuições e autonomia na Carta Constitucional de 1988. Então, essa história de que” hoje se apura e, no passado, não” só faz irritar cada vez mais essa sociedade que está indo para as ruas” –

O líder do PSDB afirmou que o Ministério Público Federal é um órgão autônomo, com poder para arquivar os pedidos que lhe são apresentados ou para determinar investigações. Cássio Cunha Lima disse que “não foi o governo do PT, coisa nenhuma, que começou a fazer apurações”, cujo sucesso atribuiu ao funcionamento normal das instituições proporcionado pela Constituição de 1988.

Basta!

 Cássio disse que Dilma mentiu ao povo brasileiro, a fim de ganhar a eleição de todo jeito.

– Há uma crise ética sem precedentes na história do País. Não vamos aceitar o discurso de que sempre foi assim. Sempre foi assim, coisa nenhuma! Nós nunca colocamos uma estrutura para assaltar o Estado brasileiro, como vocês colocaram. Isso está sendo revelado. E não aprendem! Há reincidência e condenados com novos processos. É preciso acabar com essa história de dizer que todo mundo rouba. Eu faço política há 30 anos e não roubo. Tenho uma vida limpa. Posso fazer este debate aqui porque não tenho o rabo preso e vou fazer a voz do povo brasileiro, que está dizendo: “Chega! Basta! Queremos um governo sério, ético, que funcione.” A educação não funciona; na saúde, há o caos que estamos vivendo; da segurança pública não se fala” – resumiu.

 

 

 

MaisPB