Operação da PF desmonta quadrilha de tráfico de drogas em 6 estados

Operação da PF desmonta quadrilha de tráfico de drogas em 6 estados

Dezenove pessoas foram presas, nesta terça-feira (10), durante uma operação para desmontar uma quadrilha de tráfico internacional de drogas que agia em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarinae Mato Grosso do Sul, de acordo com a Polícia Federal (PF). Dois mandados de prisão preventiva ainda devem ser cumpridos em São Paulo, e um homem, considerado um dos maiores traficantes do Brasil, está foragido.

Cerca de 250 policiais federais cumpriram 38 mandados de busca e apreensão e nove de conduções coercitivas. Do total de detidos nesta terça (10), 14 foram presos em Juiz de Fora, na Zona da Mata. De acordo com o delegado Regional de Investigação em Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais, Paulo Henrique Barbosa, todos vão ser indiciados por organização criminosa e, se condenados, a pena pode chegar a 20 anos.

Inicialmente, a polícia informou que o grupo atuava em cinco estados, mas, durante coletiva, divulgou também ramificação em Mato Grosso do Sul. De acordo com a PF, durante as investigações da Operação Athos, um núcleo responsável por financiar o tráfico foi identificado e um dos integrantes estava diretamente ligado a fraudes bancárias, que podem chegar a R$ 120 milhões em um ano.

A polícia informou que, durante seis meses de investigação, outras 16 pessoas já haviam presas e uma detida detida por transporte de dinheiro advindo do tráfico de drogas. As localidades ainda não foram divulgadas. Segundo o delegado, a apuração foi aberta a partir de dados obtidos pela inteligência da polícia.

Sobre o perfil do grupo, ele destaca que os envolvidos têm entre 40 e 50 anos, e mantinham um alto padrão de vida. De acordo com o delegado, o grupo mantinha atividades paralelas, como empresas relacionadas ao transporte público, em São Paulo, e comércio de veículos em Minas Gerais. “Eles são pessoas que se passam por empresários da sociedade, das mais variadas formas de empregos, mas que acabam injetando dinheiro em tráfico e lavando dinheiro em suas empresas", disse. A PF afirmou que abriu uma investigação específica para desarticular essas atividades.

A quadrilha, considerada uma das principais distribuidoras de drogas do país, segundo a PF, comprava os entorpecentes na Bolívia e no Paraguai, fazendo o transporte de avião para o interior do estado de São Paulo. Depois, eram distribuídos em Minas Gerais, Rio de Janeiro e região Nordeste do país.

Os criminosos movimentaram milhões de reais, utilizando contas bancárias, serviços de doleiros e dinheiro em espécie Além de documentos falsos, a quadrilha também contava com uma rede de tráfico de influências, que ajudava na manutenção das atividades criminosas.

A PF informou que, para desarticular o poder econômico da quadrilha, medidas judiciais foram tomadas como o bloqueio de valores e ativos depositados em instituições bancárias em titularidade de 28 CPFs e quatro CNPJs; sequestro de todos os bens imóveis e veículos em nome das mesmas pessoas físicas e jurídicas; além do sequestro de patrimônio já identificado dos investigados, incluindo cinco aeronaves, quatro lanchas de luxo, uma moto aquática, 11 imóveis e 14 veículos. Todos os bens foram avaliados em cerca de R$ 70 milhões.

A PF ainda apreendeu 594 quilos de cocaína (pasta base e cloridrato), cerca 1,5 tonelada de maconha, uma pistola calibre .380, munição, seis veículos, um caminhão, R$ 203.695 e US$ 390.228.

O nome Athos vem da mitologia grega. Athos era um dos gigantes, filho de Gaia e Urano, que, em uma batalha, jogou uma montanha sobre Zeus. Daí o significado do nome Athos, "aquele que nada teme".

180 graus