O que pode mudar na política de Conceição com o rompimento de Cássio com Ricardo Coutinho

O que pode mudar na política de Conceição com o rompimento de Cássio com Ricardo Coutinho

Com o agitado dia no cenário político da Paraíba e com início dos trabalhos na Câmara dos Vereadores da cidade de Conceição, foi possível enxergar uma possível dissolução de aliados políticos de Conceição. Cassista e coligado aos tucanos, dificilmente, o prefeito municipal, Nilson Lacerda, continuará com o governador Ricardo Coutinho, com o rompimento iminente entre e ele e o grupo do Senador Cássio Cunha Lima. Do outro lado, Deon Diniz, o líder político e esposo da atual vice-Prefeita, Nena Diniz, tem o maior cargo de confiança do governador em Conceição e dezenas de outros, distribuídos entre seus aliados diretos. Diante deste emaranhado mundo político, uma interrogação mais pertinente diz respeito até que ponto se manterá a aliança política entre esses dois grupos da cidade de Conceição.

Diz os “ventiladores” da política, que dificilmente o grupo permanecerá unido. Assim sendo, entra em cena outros questionamentos. Primeiro: permitirá o prefeito que o grupo de Deon Diniz continue com os cargos locais, trilhando ele como oposição ao seu possível candidato, que se acena para ser Cássio? Nesse caso, o maior beneficiado seria o próprio Deon, pois ficaria com cargos, tanto na esfera estadual, quando na esfera municipal. Segundo: será que o prefeito irá seguir a determinação de Cássio e entregar os cargos ao governador? Além de vários cargos na cidade de Conceição, o prefeito goza do direito de outros em algumas cidades no interior da Paraíba e na capital João Pessoa. E por fim: com quem o governador Ricardo Coutinho deixará os mais de 100 cargos de confiança da cidade de Conceição? Nesse caso, poderá entrar em cena um novo nome, para barganhar os cargos existentes, no município de Conceição. Quem será?

Caso Nilson resolva seguir a orientação do seu mais "estimado e admirado político", o tucano Cássio Cunha Lima, ele poderá entregar todos os cargos de confiança que ocupa, distribuídos entre seus aliados. Caso contrário, resta saber até que ponto o governador Ricardo Coutinho confiaria que a aliança seria mantida, até o dia 4 de outubro, uma vez que, pelo fato de ser dos quadros do PSDB, o prefeito poderá não subir no seu palanque político.

O questionamento foi feito pelo vereador Flávio Mangueira, no retorno dos trabalhos da Câmara dos vereadores de Conceição, nesta segunda-feira(24), ao ficar sabendo, por assessoria, que o senador teria orientado aos seus aliados a deixarem os cargos de primeiro e segundo escalão no governo.

 

 

Fonte: Gilberto Angelo/portal Vale do Piancó Notícias