O Globo: Michel Temer é solução porque evita a eleição...

O Globo: Michel Temer é solução porque evita a eleição...
 A Odebrecht enriqueceu o idioma politico nacional quando um de seus cleptotécnicos chamou de “setor de operações estruturadas” seu departamento de pixulecos. As planilhas, onde a empresa listou 316 maganos que amamentava, apressaram a montagem de outro setor de operações estruturadas, poderoso e multipartidário.
 
Seu objetivo principal é obter a ascensão de Michel Temer à Presidência. Vale ressaltar que na planilha da Odebrecht estão os nomes de todos os marqueses dos grandes partidos, menos o dele.
 
Temer é um estuário de esperanças. Junta os cidadãos que detestam o PT, os eleitores que passaram a detestar a doutora Dilma, os empresários atônitos com a paralisia do Estado e, sobretudo, os políticos e fornecedores do governo, aterrorizados com a atividade do Ministério Público.
 
Temer é acima de tudo conveniente. Vota-se o impedimento da doutora, ele assume, reduz a tensão, forma um Ministério de celebridades, consegue uma trégua (sobretudo na imprensa), leva para o governo gente que perdeu a eleição e impõe seu estilo tolerante, tranquilizando os comissários depostos. Se for possível, ajuda a preservar a vida pública de seus correligionários que temem a chegada dos rapazes da Federal. Essas seriam as esperanças.
 
Outra coisa é aquilo que o caminho do impedimento garante. Se não houver a deposição da doutora, haverá o risco da cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral, que levaria à convocação de uma eleição presidencial imediata e direta.
 
Isso não interessa à oligarquia ferida pela Lava-Jato nem ao andar de cima da vida nacional. Não interessa porque não tem candidato à mão e porque a banda oposicionista que está encalacrada na Lava-Jato sabe que deve evitar a Avenida Paulista e o julgamento popular.
 
Temer convém por muitos motivos, sobretudo porque evita a eleição. A serviço dessa circunstância move-se o setor de operações estruturadas. Ele não funciona como o da Odebrecht. Não tem sede, comando, nem agenda detalhada. Toca de ouvido e conversa em silêncio. Quando foi necessário, aprendeu a conviver com o PT, dando-lhe conforto. Ele só não consegue conviver com a Lava-Jato.
 
Ninguém quer rogar praga contra um eventual governo Temer mas, que tal um advogado de empreiteiras no círculo dos marqueses do Planalto ou mesmo no Ministério da Justiça?
 
 
 
 
 
 
 
 
O Globo