O fim da raça humana? Bill Gates questiona preocupação com a Inteligência Artificial

O fim da raça humana? Bill Gates questiona preocupação com a Inteligência Artificial

Deu na londrina BBC que Bill Gates, fundador da Microsoft, questiona o porquê das pessoas não estarem preocupadas com a Inteligência Artificial (IA), que pode crescer fora de controle. Ele se refere à Super Inteligência. Ele avalia que as máquinas farão muitos serviços para nós, sem ser super inteligentes, e isso será positivo se bem administrado.

Com essa ótica, ele chega a contrariar um dos chefes de pesquisa da própria empresa, Eric Horvitz, para o qual, fundamentalmente, a IA não se constitui em uma ameaça. Horvitz disse que cerca de um quarto da sua pesquisa é focado na IA.

Importante, também, o professor e cientista Stephen Hawking já ter advertido há tempo sobre a possibilidade da IA poder atingir um ponto fora do controle humano. Ele tem um sentimento de que máquinas com IA podem "anunciar o fim da raça humana".

Mas, a despeito da sua oposição, Gates admite que poderá ser também um pesquisador de IA, pois, segundo ele, quando fundou a Microsoft era preocupado em não perder a chance de fazer trabalhos básicos nessa área. Além disso, também acredita que, assim, a empresa possa obter mais progresso do que nunca nas próximas três décadas. Ele prevê que, nesse tempo, os robôs poderão realizar tarefas como apanhar frutas ou movimentar pacientes em hospitais. "Uma vez que esses computadores/robôs tenham a capacidade de ver e andar com facilidade, eles serão empregados intensivamente."

Está em curso um debate necessário e importante para definir os limites de segurança, como ocorre hoje com a energia nuclear, para robôs construídos por homens e a sua semelhança. No caso da IA, a ameaça se constitui em um capaz de, conforme a Mainstream Science on Inteligence (documento para definir inteligência, ter habilidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar de forma abstrata), compreender ideias complexas e aprender com a experiência.
Talvez a IA preocupe a comunidade científica especialmente ante a possibilidade dos robôs se auto reproduzirem. Isso facilitaria ocorrer uma invasão de bárbaros tecnológicos que ameace a vida humana no Planeta Terra. Como um radar da raça, o cinema já rodou esse filme.

 

 

 

BBC Brasil