Nossos goleiros são horrorosos. Um pior do que o outro’, diz vice-presidente do Palmeiras

Nossos goleiros são horrorosos. Um pior do que o outro’, diz vice-presidente do Palmeiras

“Peço a todos os palmeirenses que rezem pela volta rápida do Fernando Prass.” A frase é do vice-presidente alviverde Antonino Jesse Ribeiro e reflete o pavor da diretoria com os reservas imediatos de Prass, ausente do time devido a uma contusão desde 4 de maio.

“Os nossos goleiros são horrorosos! Um pior do que o outro”, avalia Jesse, se referindo a Deola, Fábio e Bruno, todos revelados na base.

“O Bruno não dá. Aí, tentamos o Fábio, que começou bem e, depois, passou a levar gol de tudo quanto é jeito. Eu até fui um dos que defenderam a entrada do Deola, que ganha uma oportunidade e leva seis gols”, corneta, revoltado com a goleada sofrida para o Goiás, por 6 a 0, no último domingo.

Para o aliado de Paulo Nobre, Fábio, Deola e Bruno conseguiram acabar com a renomada escola de goleiros da Academia do Palmeiras. “Sempre fomos uma referência na hora de formar goleiros, mas isso acabou depois do surgimento do Marcos”, acrescenta.

Prass sofreu uma fratura no cotovelo direito na derrota para o Flamengo, no Maracanã, na terceira rodada do Brasileirão, e nunca mais jogou. A expectativa do departamento médico é de que ele leve mais duas semanas para retornar.

Culpa dos boleiros - Jesse também está furioso com o restante do elenco. “Infelizmente, não dá para contratar um time inteiro novo. Então, o negócio é conviver com quem está lá. Mas, apesar de tudo isso, ainda acho que o Palmeiras se salvará”, afirma.

O vice-presidente garante que não há desculpas para a série de 13 derrotas do time em 23 jogos. “Não tem salário atrasado, não existe briga no grupo, os atletas têm todo o respaldo da diretoria… Agora, eles precisam correr”, finaliza o vice-presidente. O Verdão, hoje, é o lanterna do Brasileirão com 22 pontos em 23 rodadas.

 

IG esporte