Nonato Bandeira volta a atacar e afirma que Cartaxo pode estar caminhando para isolamento

Nonato Bandeira volta a atacar e afirma que Cartaxo pode estar caminhando para isolamento

O vice-prefeito de João Pessoa e presidente estadual do PPS, Nonato Bandeira, afirmou que o prefeito Luciano Cartaxo pode estar caminhando para o seu isolamento político, “pelo simples fato de não cumprir compromissos e além do mais impera a desconfiança total na administração”, justificou.

De acordo com Bandeira, a desconfiança é tanta que até mesmo os partidos políticos que estão do lado do prefeito, todos os dias fazem reuniões para saber se realmente está tudo certo com o que foi combinado.

Bandeira denunciou ainda que máquina administrativa está “inchada” e que somente no primeiro escalão existem  31 órgãos com status de secretária,  “ quando no Governo Federal esse número é de 27”, comparou.

Ainda segundo o vice-prefeito, a população não tem retorno  das  demandas  “ e quando elas vão  pedir ajuda aos políticos para calçar uma rua ou até mesmo  conseguir uma consulta ou marcar um exame, mostra que a gestão não está funcionando  e  o povo está cansado de sofrer não mãos de políticos que  não cumprem com o que dizem”, completou.

 

Taxa Z – Sobre as denúncias de que donos de construtoras estariam sendo extorquidos para poderem ter direito a alvarás e outros documentos,  o  que foi   chamando de “Taxa Z”,   Nonato Bandeira disse que não sabia disso e  tomou conhecimento do assunto pela imprensa e pelas redes sociais.  “ Mas se de fato isso estiver realmente acontecendo defendo que aja uma investigação severa pelos órgãos de controle e interno e que os culpados sejam punidos”, frisou.

O vice-prefeito também falou sobre a situação de Roseana Meira e que segundo ele também foi escanteada pelo prefeito Luciano Cartaxo. “Ela  foi uma grande secretária de Saúde que colocou a pasta em ordem mas como eu  também foi descartada pela atual gestão”, completou.

Bandeira afirmou ainda que o prefeito criou secretárias para servir apenas como “cabide de emprego’ e para ‘apadrinhamento político’ a exemplo da Guarda Municipal que não tem quaisquer condições de funcionamento.

Taxa Z – Sobre as denúncias de que donos de construtoras estariam sendo extorquidos para poderem ter direito a alvarás e outros documentos, o que foi   chamando de “Taxa Z”,   Nonato Bandeira disse que não sabia disso e  tomou conhecimento do assunto pela imprensa e pelas redes sociais.  “ Mas se de fato isso estiver realmente acontecendo defendo aja uma investigação severa pelos órgãos de controle e interno e que os culpados sejam punidos”, finalizou.

 

 

 

Paraíba.com.br