No Vale do Piancó: Agricultora diz na justiça que médico teria deixado gazes dentro do intestino

No Vale do Piancó: Agricultora diz na justiça que médico teria deixado gazes dentro do intestino
Uma agricultora da cidade de Santa Inês, no Sertão paraibano, a 496 km de João Pessoa, entrou na Justiça para denunciar um suposto caso de erro médico. 
 
Um ano depois de fazer uma cirurgia de retirada de ovário no Hospital Regional Venceslau Leite, em Piancó, também no Sertão, Clênilda Lopes Francelino descobriu que o médico que a operou teria esquecido uma gaze dentro da barriga dela.
 
Um exame de ultrassom confirmou que o objeto estava no intestino da paciente desde novembro de 2013, quando o procedimento cirúrgico foi realizado. A ação foi protocolada no Ministério Público de Conceição.
 
Um exame de ultrassom confirmou que o objeto estava no intestino da paciente desde novembro de 2013, quando o procedimento cirúrgico foi realizado. A ação foi protocolada no Ministério Público de Conceição.
 
 
Segundo Ronilda Lopes, irmã da paciente, a suspeita do erro começou quando as dores abdominais alertaram a família para o problema. “A minha irmã fez a cirurgia em novembro de 2013. Meses depois começaram as dores. Clênilda voltou ao médico que a operou, mas ele garantiu que faz parte do processo pós-cirúrgico. O médico passou uns remédios, ela tomou, mas os sintomas continuaram. Procuramos hospitais nas cidades de Patos e Itaporanga e outro médico prescreveu uma ordem para fazer uma ultrassom e uma tomografia computadorizada. Foi aí que detectou que era um corpo estranho, no caso a gaze que tinha ficado dentro da barriga”, disse.
 
O quadro de saúde da agricultora foi se agravando e o tecido de quase 40 cm começou a sair pelo corte feito na cirurgia, que está infeccionada. Meses depois de ser operada, Clênilda teve que passar por uma nova cirurgia para a retirada da gaze. A operação foi realizada em dezembro de 2014, no Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, Campina Grande, no Agreste do estado.
 
“Dias depois da minha irmã fazer a cirurgia da retirada do tecido, ela teve que voltar para o Trauma-CG porque alimentos estavam saindo pelo corte feito na barriga. Os médicos que a atenderam disseram que a paciente vai passar outra cirurgia porque a gaze perfurou o intestino. Clênilda está pagando pelo erro dos outros”, lamentou Ronilda Lopes.
 
Segundo a assessoria de imprensa do Hospital de Trauma de Campina Grande, o estado da paciente é regular e ela deve passar por cirurgia neste sábado (31).
 
A Secretaria de Saúde do Estado foi procurada por toda esta sexta-feira (30), por meio de telefonemas e e-mail, para explicar o caso, mas ninguém se posicionou oficialmente sobre o assunto até o começo da noite.
 
 


Do Portal Correio - Por Hyldo Pereira