‘Não há como defender o governo’, diz Anísio sobre crise e critica ‘saída’ neoliberal

‘Não há como defender o governo’, diz Anísio sobre crise e critica ‘saída’ neoliberal

O deputado estadual, Anísio Maia (PT), voltou a reclamar da política econômica do ministro Joaquim Levy, concordou com a posição da presidente Dilma Rousseff (PT) sobre a necessidade de aumentar o consumo do brasileiro na contramão do que foi sugerido pelo Copom do Banco Central e afirmou que não defende o governo, porque ele é “bom, mas tem seus erros”.

Anísio afirmou que não viu a declaração de Dilma, pois é uma questão complexa, para se falar sem ter ouvido, porém, reclamou da posição do Copom que justificou a necessidade de aumentar os juros para frear o consumo. “Se você aumenta os juros, aumenta o serviço da dívida. O governo vai pagar mais pelos empréstimos que ele tem no sistema bancário. Como vamos resolver o superávit se vai ter mais despesa pagando juros”, reclama.

Para o petista, para contornar a crise teria de ser feita a mesma coisa que Lula fez no seu governo, Lula investiu seguindo o exemplo do que está hoje sendo feito pela Europa. “O Banco central europeu investiu € 1,1 trilhão nos país da Europa, para não permitir que chegue a recessão, os países capitalistas, mesmo de direita, estão adotando uma saída para investimento e no Brasil, que é um governo popular, adota uma saída que restringe o investimento? não tem a menor lógica. Esse ministro está complicando a situação do Brasil”, diz.

“Na minha opinião Levy já teria caído fora. As medidas não surtem efeito, ao contrário, estão provocando crise que cai mais sobre os que tem menos. Tem que penalizar os que têm mais, não os que têm menos”, conta.


Já sobre estar na contramão do governo, por estar criticando, o petista afirmou que a administração do PT, apesar dos defeitos, foi um dos melhores dos últimos anos e que “ser bom é uma coisa, ter defeito é outra”. De acordo com Anísio, não há porque defender o governo neste aspecto, pois se está numa crise. “Eu defendo o compromisso que eu tenho com as pessoas que me elegeram, minha base social. Não defendo solução neoliberal que em vez de trazer crescimento pode trazer recessão”, conclui.
 
 
 
 
 
 

Marília Domingues