“Não é fácil defender”, diz tucano sobre processo de RC no TRE-PB

“Não é fácil defender”, diz tucano sobre processo de RC no TRE-PB

O deputado estadual, Dinaldinho Wanderley (PSDB), saiu em defesa do advogado do governador, Ricardo Coutinho (PSB), que apresentou atestado médico para não comparecer nesta sexta-feira (2) a audiência para ouvir as testemunhas na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que apura irregularidades no programa Empreender. Antônio Leonardo Gonçalves de Brito Filho está com torcicolo, segundo atestado.

“Como médico ortopedista acredito na doença do advogado, pois ele tem todos os fatores de risco. Estressado, sem dormir direto, tendo que omitir fatos, sob pressão, defendendo o indefensável. Tudo isso acarreta problemas como o torcicolo”, disse o parlamentar.

Dinaldinho, que é autor de um pedido de CPI na Assembleia Legislativa para apurar problemas no programa, disse que fica difícil defender o que afirma a própria Controladoria Geral do Estado (CGE) que aponta que a inadimplência do programa é de 64,5%, representando um acréscimo de 10,3% em relação ao ano de 2011. Também não foram evidenciados registros de cobrança das parcelas atrasadas, bem como não há procedimento definido com prazos e formas a serem utilizados no processo de cobrança dos inadimplentes.

“A Aije revela não só o desvio no programa de empréstimo, caracterizador do abuso de poder político, mas também o uso de recursos patrimoniais que estavam sob a gestão do administrador, o que configura ainda o abuso de poder econômico. De 2013 para 2014 houve um incremento de cerca de 57,41% no total gasto.

Ainda, observa-se que em julho de 2014, já em campanha eleitoral, houve um aumento de cerca de 117,51% na concessão de crédito com relação ao mês de junho. Já com relação à quantidade de beneficiários houve um aumento de cerca de 57,15% com relação ao ano de 2013”, lembrou.

Adiamento – O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba adiou para o próximo dia 16 a audiência para ouvir as testemunhas na AIJE do Empreender, Ação de Investigação Judicial Eleitoral, que apura irregularidades no uso do Empreender em benefício do governador Ricardo Coutinho, então candidato à reeleição.

O TRE deferiu uma petição da defesa do governador, que apresentou um atestado médico de um dos advogados que participaria da audiência. Ele está com torcicolo. A Aije foi movida pelo Ministério Público Eleitoral.

Vale lembrar que a Lei Eleitoral determina que este tipo de ação seja julgada até um ano da realização das eleições, prazo que se esgotará na próxima segunda feira, 5 de outubro.

 

 

 

MaisPB