Nabor Wanderley lamenta redução de recursos do FPM para os municípios

Nabor Wanderley lamenta redução de recursos do FPM para os municípios

O deputado estadual, Nabor Wanderley (PMDB), foi o entrevistado da noite desta terça-feira, dia 12, no canal RCTV, programa 27″ com o comunicador, Hermes de Luna. Na oportunidade ele destacou a crise hídrica que está afetando o estado da Paraíba, sendo que o sertão apresenta atualmente um colapso devido a rápida evaporação do Açude Coremas/Sabugi que abastece Patos e mais 15 municípios paraibanos e outros no estado do Rio Grande do Norte.

O parlamentar ainda prestou contas do trabalho parlamentar na Assembleia Legislativa da Paraíba.

“A gente tem procurado trabalhar com muita responsabilidade mesmo com a ocupação em secretariar o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino; a gente não deixa de debater temas importantes ou de apresentar projetos que sejam de interesse do povo da Paraíba. Esperamos que eles sejam aprovados pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)”, disse.

Durante a entrevista, Nabor Wanderley lamentou como os municípios tem sido prejudicados com a diminuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

“O governo federal tem sacrificado os pequenos municípios diminuindo os recursos, além de jogar a responsabilidade de saúde, de educação, de infraestrutura, tudo para que eles resolvam sem dá condições para que possa ser resolvido. Ou se discute um pacto federativo com condições de mais recursos para os municípios, ou daqui a alguns anos, infelizmente, vamos vê-los inviabilizados com relação as suas administrações”, lamentou.

Nabor ainda opinou sobre o voto distrital, ponto de discussão na Reforma Política.

“Eu sou contra o voto distrital, acho que limita muito o trabalho do parlamentar em uma área específica. Acredito que deve ficar da forma que é, pois, o parlamento tem que ser amplo para todo o estado. Não posso ser deputado somente da região de Patos, quando a gente tem que tratar dos problemas de Campina Grande, João Pessoa e outras localidades”, explicou.

 

 

 

MaisPB