Na Paraíba, Gás veicular pode custar até 50% menos que gasolina

Na Paraíba, Gás veicular pode custar até 50% menos que gasolina

Em tempos de crise econômica e deterioração do poder de consumo, as famílias se viram como podem para fazer o dinheiro durar até o fim do mês. Uma das soluções para aliviar o orçamento doméstico pode estar no gás natural veicular (GNV). Um levantamento feito pela Abegás (Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado) apurou que, em São Paulo e no Rio de Janeiro, rodar com GNV traz uma economia que chega a 50% ante o que seria gasto em gasolina.

A entidade considerou as médias de preços dos combustíveis em 19 Estados brasileiros entre 11 e 17 de outubro, conforme tabela da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), e o consumo médio de um Fiat Siena, de acordo com os dados informados no manual do proprietário. E concluiu que rodar um quilômetro com GNV sai por menos da metade do custo com a gasolina.

Em São Paulo, um quilômetro rodado com GNV custa R$ 0,15, ante R$ 0,31 se o combustível for a gasolina. No Rio de Janeiro e no Espírito Santo, a vantagem é maior: R$ 0,16 x R$ 0,35 e R$ 0,15 x R$ 0,32, respectivamente. A economia é de 51,61% em São Paulo, 54,28% no Rio e 53,12% no Espírito Santo.

Na comparação com o etanol, o GNV é 50% mais barato em São Paulo, 57,89% no Rio e 58,33% no Espírito Santo.

Em Minas Gerais, os percentuais de economia com o GNV são de 45,45% diante da gasolina (R$ 0,18 x R$ 0,32) e de 43,75% em relação ao etanol (R$ 0,18 x R$ 0,32).

Com esses valores, a economia com GNV para quem roda 2.500 km/mês pode chegar a R$ 548 no Rio na comparação com o etanol e a R$ 469 ante a gasolina. Em São Paulo, a economia na substituição do etanol é de R$ 376 e de R$ 396 no lugar da gasolina. No Espírito Santo, são R$ 533 e R$ 421 (etanol e gasolina) e, em Minas Gerais, R$ 358 e R$ 375, respectivamente.

A pesquisa avaliou os preços nos estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará,  Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba,  Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul,  Santa Catarina, São Paulo e Sergipe e será refeito a cada mês. As médias de consumo do Fiat Siena, que nortearam o estudo, são de , 13,2 km/m³ (GNV), 10,7 km/l (gasolina) e 7,5 km/l (etanol).

 

 

Estadão