Na Paraíba, Eduardo Cunha volta a endurecer discurso contra o PT e ignora Michel Temer como articulador

Na Paraíba, Eduardo Cunha volta a endurecer discurso contra o PT e ignora Michel Temer como articulador

O presidente da Câmara Federal, deputado pelo PMDB do Rio de Janeiro, Eduardo Cunha, voltou a enfrentar protestos de movimentos ligados a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e ao Movimento do Espírito Lilás (MEL – Movimento que representa LGBT da Paraíba) em sua passagem por João Pessoa – PB. Cunha não se intimidou e voltou a endurecer o discurso contra o PT e ignorou o papel de articulador político do vice-presidente da República, Michel Temer.

Depois de acusar um deputado estadual do PT da Paraíba, Anísio Maia, de ser um dos coordenadores do protesto que tomou a Assembeia do Estado, Eduardo Cunha, acusou o Partido dos Trabalhadores de orquestrar os movimentos contra ele em todo país através de sindicatos “pelegos”. “O PT não vai constranger PMDB pelo país. O PMDB não vai aceitar ser constrangido pelo PT, esse é o recado que estamos dando”.

 

Apesar de estar enfrentado protestos em todas as cidades que tem frequentado, Eduardo Cunha garante que não vai se constranger e vai continuar percorrendo o país.

 

“Não achem que vão me constranger em qualquer lugar, em vou continuar. Que venham os protestos pacíficos, que venham os debates, o que não vamos admitir e depredação do patrimônio público. Os mesmos braços do PT que aqui estavam, foram quebrar a Câmara dos deputados. Esse é um movimento político que o PT é o responsável e isso tem que ser levado a sociedade”, disparou.

Indagado se sua postura de ataque ao PT tem o aval do vice-presidente Michel Temer, escalado pela presidente Dilma Rousseff, como articulador político do governo, Eduardo Cunha, com cara de poucos amigos, foi curto e grosso: “Vossa excelência pergunte a ele”.

 
 
 
 


Marcos Wéric