Na mira da Lava Jato, ex-ministro e atual deputado federal da PB começa se desfazer de bens

Na mira da Lava Jato, ex-ministro e atual deputado federal da PB começa se desfazer de bens

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), anda sumido do cenário político estadual e nacional, depois que seu nome foi divulgado como um dos beneficiários do esquema de desvio de dinheiro da Petrobras desvendado pela Operação Lava jato. Além de sumido, Aguinaldo Ribeiro, anda se desfazendo de alguns bens que possui, inclusive arrendando algumas rádios de propriedade da família.

De acordo com uma fonte ouvida pela reportagem, Aguinaldo já teria arrendado uma das rádios da família na região do Brejo. Ainda segundo a fonte, o motivo do deputado e ex-ministro está se desfazendo dos bens, não é aperto financeiro ou por conta da crise que assola o país, mas medo de ter que devolver dinheiro ao erário público ao fim das investigações comandadas com mão de ferro pelo juiz Sérgio Moro.

O ex-diretor da Petrobras, Pedro Barusco, já devolveu a empresa a quantia de R$ 157 milhões.

O ex-ministro Aguinaldo Ribeiro será investigado no inquérito que tem 39 nomes de possíveis envolvidos em suposta formação de quadrilha para prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo o doleiro Alberto Youssef, o deputado se beneficiou do pagamento mensal de propina feito ao PP, com repasses da "cota" do partido no esquema da Petrobrás.

O grupo familiar liderado por Aguinaldo mantém ainda o controle de outras emissoras de rádio no Estado, a exemplo da Cariri AM em Campina Grande, uma outra em Areia, em Itabaiana e ainda uma em João Pessoa, que passou para o controle dos Ribeiros recentemente, a Transmissão de Rádio e TV do Nordeste LTDA. Para assumir o controle desta última, o grupo do ex-ministro pagou um ágil de R$ 500 mil e assumiu uma divida com o Ministério das Comunicações de quase R$ 2 milhões.

A reportagem tentou contato através do telefone celular do deputado, mas ele não atendeu as ligações.

 

 

 

 


Paraíba.com.br