Na linha de sucessão, Lígia acha “muito cedo” para pensar em projeto de 2018

Na linha de sucessão, Lígia acha “muito cedo” para pensar em projeto de 2018

“Fui eleita para cumprir até o último dia de mandato ao lado do governador Ricardo Coutinho”. Foi o que disse a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) em entrevista ao Frente a Frente, da TV Arapuan, na noite desta segunda-feira, descartando qualquer projeto que lhe desvie de 2018, quando pode assumir o governo em caso de licença de Ricardo para disputar um mandato na sucessão estadual.

Lígia não quis opinar qual cargo Coutinho deve disputar. “É muito cedo. Fomos eleitos há pouco mais de um ano. É hora de trabalhar pela Paraíba”, despistou a vice-governadora.

Aliança com Ricardo
Na entrevista, ela teceu elogios ao desempenho administrativo de Ricardo e defendeu a política fiscal da gestão estadual: “Mesmo na crise, a Paraíba está pagando em dia, está com as contas equilibradas”. E disse que a Paraíba acertou quando optou, em 2014, “pelo trabalho”.

Vida particular
Durante uma hora de conversa com o jornalista Heron Cid, a vice-governadora revelou episódios de sua vida particular, como o namoro ainda jovem com o hoje deputado Damião Feliciano, com que casou anos depois, e os tempos de estudante de Medicina, quando precisou vencer “uma barra” para conciliar o curso com a maternidade e o casamento.

Religião
Mãe de Renato, Gustavo e Mariana, Lígia confessou sua paixão pela família que construiu em 37 anos de casamento e sua devoção religiosa por Nossa Senhora Aparecida. “Já alcancei muitas graças”, disse.

 

 

MaisPB