MTE resgatou 1.590 pessoas da condição de trabalho escravo em 2014

MTE resgatou 1.590 pessoas da condição de trabalho escravo em 2014

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) informou nesta quarta-feira (28/01) que 1.590 trabalhadores foram resgatados da situação análoga à escravidão em 2014. Esses números refletem resultados obtidos por meio de 248 ações fiscais realizadas durante o ano passado. "Os dados, ainda que em fase de consolidação, indicam atuação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel de Combate ao Trabalho Análogo ao de Escravo (GEFM)", afirmou em nota Alexandre Lyra, chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae).

A maior parte das fiscalizações foi feita na área de pecuária, mas o maior número de trabalhadores resgatados foi registrado na construção civil, com 437 pessoas. Agricultura teve 344 resgatados e pecuária, 228.

Minas Gerais foi o estado onde houve a maior quantidade de trabalhadores resgatados, 354. Em segundo lugar ficou São Paulo, com 139 pessoas, seguido por Goiás, com 141 liberados.

As ações com maior quantidade de trabalhadores identificados em condição análoga à escravidão aconteceram em Macaé (RJ), na construção civil; Sooretama (ES), em colheita de café ; Picos (PI), na coleta da palha da carnaúba (61); Tarauacá (AC), em criação de bovinos para corte; Mineiros (GO), na preparação e fiação de fibras de algodão (52); e em Parnaíba (PI), na coleta de palha da carnaúba (52).

 
 
 

Globo.com