MPPB apura se denúncia de Ricardo chegou a ser protocolada no órgão

MPPB apura se denúncia de Ricardo chegou a ser protocolada no órgão

O Ministério Público Estadual (MPPB) ainda está investigando se documento-denúncia sobre um suposto mensalão foi protocolado no órgão pelo governador Ricardo Coutinho. O procurador Bertrand Asfora, através de sua assessoria, em entrevista por telefone ao Portal MaisPB, informou que o protocolo ainda está sendo apurado, para saber se ele foi ou não foi feito na gestão anterior, em 2011, quando o procurador era Oswaldo Trigueiro (atualmente desembargador do Tribunal de Justiça da Paraíba - TJPB). Não há prazo para que a investigação seja concluída. Ricardo Coutinho afirmou ter protocolado a denúncia no MPPB.

Por telefone, em contato com o Portal MaisPB, na manhã desta quarta-feira, o desembargador Oswaldo Trigueiro disse não poder falar no momento, devido ao grande volume de trabalho na sessão do Tribunal de Justiça.

Durante debate realizado na noite desta terça-feira (30) com os candidatos a governador da Paraíba, o governador Ricardo Coutinho garantiu ter repassado para o Ministério Público o inquérito que começou a investigar a apreensão de R$ 81 mil, que seriam destinados a secretários estaduais, como aponta denúncia feita sobre a existência de um suposto mensalão no governo estadual.

O caso veio à tona na semana passada após integrantes do Fórum dos Servidores Públicos protocolarem pedido de investigação do caso na sede do Ministério Público Estadual.

Em pergunta sobre o tema, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato a governador pela coligação ‘A Vontade do Povo’, questionou o governador Ricardo Coutinho, que disputa a reeleição pelo PSB, se para instaurar um inquérito havia necessidade de apreciação política.

Ricardo disse que a denúncia se trata de uma armação tramada para ser repercutida no processo eleitoral deste ano. O governador garantiu ter remetido a denúncia para o Ministério Público e cobrado providências para elucidar o caso. “A Polícia arquivou isso e eu, imediatamente, chamei o Ministério Público para comunicar e querer investigação. Eu não tenho o que temer”, disse o socialista.

Durante réplica, Cássio alfinetou Ricardo e disse que o socialista não respondeu a pergunta feita por ele. O tucano reiterou que o Ministério Público não deu a certidão pedida pelo Fórum dos Servidores Públicos em relação ao suposto inquérito. “A resposta dele fica claro que houve sim interferência política, o inquérito simplesmente sumiu”, comentou.


Jãmarrí Nogueira e Alexandre Freire - MaisPB