MPF: Youssef deve ser absolvido em acusação de lavar dinheiro

MPF: Youssef deve ser absolvido em acusação de lavar dinheiro

O Ministério Público Federal requereu à Justiça Federal que o doleiro Alberto Youssef seja absolvido da acusação de lavar dinheiro do tráfico de drogas. Youssef está preso desde março deste ano, após a deflagração da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que apura a movimentação ilegal de aproximadamente R$ 10 bilhões.

Conforme as investigações, o doleiro era apontado como o operador da lavagem de dinheiro de Rene Luiz Pereira, apontado como traficante pelas investigações. Com o avanço das investigações, os procuradores não encontraram qualquer prova de que Youssef tenha cometido algum delito referente a esse caso. Dessa forma, os procuradores optaram por sugerir a absolvição, considerando o princípio de que na dúvida, o réu deve ser beneficiado.

“Conforme já referido no item 2.2.d, a atuação de Youssef comprovada nos autos limitou-se à cessão do espaço físico de seu escritório paulista para o recebimento de valores, não tendo ele mantido qualquer contato relacionado ao caso penal com Evi [Maria de Fátima Stocker], Rene [Luiz Pereira] ou Sleiman [Nassim El Kobrossy], pelo que, também aqui, a absolvição pelo critério in dubio pro reo é a medida de maior justiça”, diz trecho do documento enviado pelo MPF à Justiça.

O processo consta originalmente com os nomes de Alberto Youssef, André catão de Miranda, Carlos Habib Chater, Maria de Fátima da Silva, René Luiz Pereira e Sleiman Nassim El Kobrossy, como réus. De acordo com a denúncia, todos os envolvidos são acusados de ajudar na lavagem de dinheiro de operações de tráfico de drogas promovidas por Pereira.

Delação

Alberto Youssef e os procuradores do MPF entraram em um acordo de delação premiada. Com isso, ele se comprometeu a dizer tudo o que sabe sobre o esquema de lavagem de dinheiro que chefiava, em troca de reduções nas penas que podem ser imputadas. O documento que pede a absolvição do doleiro no caso do tráfico de drogas não cita o acordo de delação.

O acordo de delação premiada será homologado pela Justiça se, depois da fase dos depoimentos, ficar comprovada a veracidade das informações que Youssef fornecer. O acordo foi assinado um dia após a defesa revelar que o doleiro tinha essa pretensão.


G1