MP responde em 10 dias sobre denúncia de propinas a secretários da PB

  MP responde em 10 dias sobre denúncia de propinas a secretários da PB
O Ministério Público da Paraíba tem até o dia 18 de outubro para responder ao Fórum dos Servidores do Estado se o órgão recebeu, ou não, o relato da ocorrência policial sobre a apreensão de dinheiro que teria como destino auxiliares do Governo do Estado. O prazo é estabelecido pela Lei de Transparência. A informação foi repassada pelo MPPB ao Portal MaisPB na tarde desta quinta-feira (9) pelo presidente da Comissão de Combate a Improbidade Administrativa do MPPB, promotor José Raldek de Oliveira.


Segundo o promotor , que apura o caso, o Ministério Público vai usar o período estabelecido na Lei para se pronunciar oficialmente, ou seja, até 10 dias após o Fórum ter solicitado a informação, o que aconteceu nesta quarta-feira (8).

Raldek adiantou ao Portal MaisPB que a resposta será dada pelo procurador-geral Betrand Asfora, após receber relatórios sobre o caso. Bertand vai responder se o MPPB realmente recebeu a denúncia, confirma tem afirmado, reiteradamente, o governador Ricardo Coutinho.

O Fórum dos Servidores Públicos da Paraíba protocolou ofício, no Ministério Público da Paraíba , dirigido ao procurador-geral Betrand Asfora, cobrando resposta de um requerimento de 29 de setembro, sobre a existência ou não de um requerimento do governador Ricardo Coutinho (PSB), para que fossem apuradas denúncias referentes à blitz policial que apreendeu dinheiro e documentos que expunham “um suposto esquema de distribuição de propinas a secretários estaduais”.

Pedido de investigação – O Fórum dos Servidores pediu que o MPPB investigue se há procedência na denúncia de que: durante uma blitz de rotina a polícia interceptou um veículo modelo Fox, transportando a quantia de R$ 81 mil , sacada na Agência do Banco do Brasil de Benfica, em Recife (PE).

Ao lado da quantia, os policiais teriam apreendido um papel com a orientação para a distribuição do dinheiro que seria a auxiliares da gestão estadual.

O que diz o Estado -  De acordo com o secretário estadual de Segurança Pública, Cláudio Lima, delegados da Polícia Civil realmente apreenderam dinheiro durante uma blitz de rotina, realizada em 30 de junho de 201. O Governo do Estado afirma que o relato do caso foi encaminhado para o Ministério Público.


Écliton Monteiro – MaisPB