Ministro do STF diz que mudou de opinião após alerta de juiz sobre risco de fuga dos presos

Ministro do STF diz que mudou de opinião após alerta de juiz sobre risco de fuga dos presos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, reconsiderou nesta terça-feira parcialmente a decisão tomada ontem, de libertar todos os presos da Operação Lava-Jato, e manteve na prisão os doleiros Alberto Youssef, Raul Henrique Srour, Nelma Mitsue Penasso Kodama e Carlos Habib Chater, além de Renê Luiz Pereira, acusado pelo Ministério Público Federal de movimentar recursos do tráfico de drogas. No total, 12 pessoas estão presas - 11 no Brasil e uma na Espanha. Há ainda um foragido. Teori disse no início da tarde que mudou sua decisão por temer risco de fuga dos presos, como alertou o juiz do Paraná Sergio Moro.

- O juiz disse que tinha (risco). Sem conhecer, não quero tomar decisões precipitadas - alegou Teori.

Teori explicou que, por enquanto, apenas o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa pode ficar solto.

- Por ora esses que o juiz informou que têm envolvimento com o tráfico de drogas vão ficar presos. Esses que estão presos por causa das quatro ações e o que está solto continua solto.

 

Globo