Ministro do PT: “Temos que pagar o preço do tempo, que desgasta”

Ministro do PT: “Temos que pagar o preço do tempo, que desgasta”

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, reconhece que a conjuntura atual é difícil.
Para ele, vários fatores influenciam o momento negativo pelo qual passa o governo Dilma Rousseff, entre os quais a atuação da chamada ´grande imprensa´ do país.

“A questão da Operação Lava Jato coloca mais uma vez o tema da corrupção no governo federal e mais uma vez a seletividade da comunicação social do Brasil abafa casos, como, por exemplo, o Metrô de São Paulo.”

O ministro, porém, não atribui as dificuldades apenas à atuação da mídia.

“O governo tem responsabilidade política por tudo o que faz”, diz.

Para ele, a queda de popularidade de Dilma Rousseff, que se intensificou a partir da nomeação do ministério e das medidas de ajuste fiscal do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, decorre também da “mudança de expectativa em relação à questão orçamentária e a necessidade de fazer ajustes econômicos e financeiros”, e do fato de que os governos do PT, desde Luiz Inácio Lula da Silva, já entram no 13° ano e sofrem um desgaste natural.

“Temos que pagar o preço do tempo, que desgasta”, resume.

Berzoini afirma que não fica “escandalizado” ao ouvir propostas de impeachment, mas que não vê hipóteses previstas na lei para isso e que “falar de impeachment sem que haja pressupostos legais é claramente uma atitude golpista”.

Sobre manifestações contra a presidenta Dilma Rousseff, o ministro entende que o governo tem de saber “lidar com isso sem achar que é o fim do mundo”, mas alerta: “Não podemos transigir com manifestações que tenham violência como método de ação ou cujo eixo seja uma perspectiva golpista. Isso a gente não aceita.”

 

 

Fonte: tvdotrabalhador