Ministro da Justiça planeja trocar diretor e desmembrar a Polícia Federal

Ministro da Justiça planeja trocar diretor e desmembrar a Polícia Federal

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, já sonda discretamente expoentes da Polícia Federal para trocar o diretor geral após os Jogos Olímpicos. O atual diretor é o delegado Leandro Daiello.

O nome de Paulo Lacerda, o homem-forte da Era Lula, voltou a circular nos corredores do MJ. Além da iminente troca do DG – o título informal do comandante da polícia – o ministro prepara o desmembramento da Polícia Federal em setores, uma descentralização que hoje agrada a agentes e peritos, mas reprovada pelos delegados.

A ideia na pasta é copiar o modelo do FBI, onde cada departamento tem autonomia e orçamento próprios. Sob o comando de direção geral com interface entre os setores.

Se vingar o plano de Aragão, a PF da Fronteira, a Perícia, a Imigração, o Combate a Crimes Financeiros e o de Cibernéticos, por exemplo, seriam desmembrados, e independentes em relação aos outros setores.

Esse modelo não agrada aos delegados, mas atenderia, em parte, a tão conclamada autonomia administrativa e orçamentária (ainda a ser discutida) da corporação. É demanda de muitos anos da PF.

O ministério evita entrar na polêmica por ora. Segundo a assessoria do MJ, 'todos os secretários' da pasta e o DG da PF estão mantidos. Com os quais o ministro tem mantido reuniões de trabalho.

 

 

 

 

UOL