Ministério Público da Comarca de Piancó e Igreja Católica são contrários a AESA

Ministério Público da Comarca de Piancó e Igreja Católica são contrários a AESA

O Ministério Público, a Igreja católica, a AESA, vereadores, prefeitos, ex-prefeitos, associações, entidades e a população participaram na noite de ontem de uma audiência pública na câmara de vereadores da cidade de Catingueira para debater a abertura da comporta do açude Cachoeira dos Cegos.

 

Segundo a AESA não existe razões para preocupação diante da determinação da Agência Executiva das Águas da Paraíba (AESA) de abrir a comporta do açude e Catingueira para que água sirva para irrigação através do Rio Genipapo na cidade de Emas. E segundo dados da própria Agência dos 71 milhões de metros cúbicos de água de sua capacidade. O açude se encontra com 13 milhões, apenas 19,4 metros cúbicos de água.

 

A Agência Nacional das Águas (ANA) emitiu durante a semana um alerta sobre as previsões climáticas para 2014 e diante dos fatos que os açudes da Paraíba evitassem o desperdício de água e não usasse água para irrigação.

 

Durante a audiência pública realizada ontem para debater o assunto a representante da AESA não foi convincente e até os dados mais recentes divulgados pela Agência foram contraditórios em relação ao açude Cachoeira dos Cegos. O representante da Associação Catingueirense de Assistência Social Eliedson Soares Pereira (Edison) disse que a água deve ser usada para o consumo humano e teme o colapso já que todos os dias dezenas de carros pipas levam água para várias cidades.

 

O ex-prefeito Edvan Felix deixou claro que o açude está muito abaixo de sua capacidade e que a comporta aberta fere tudo o que a AESA anuncia e propaga que é o uso da água para irrigação. Apenas o prefeito de Emas Segundo Madruga é favorável a abertura do açude.

 

O padre Bento de Oliveira que é pároco das cidades de Emas e Catingueira se mostrou contrário à abertura da comporta e enfatizou que a água desperdiçada vai fazer falta mais tarde e que as autoridades devem conter o desperdício da água que está caindo no Rio Genipapo.

 

Ao final o promotor Uirassu de Melo Medeiros representante do Ministério Público Estadual da Comarca de Piancó solicitou da AESA o seu imediato fechamento e pediu um termo de ajustamento de conduta (TAC) até que houvesse um estudo mais detalhado sobre o caso para uma nova reabertura da comporta do açude Cachoeira dos Cegos.

Vale News PB