Ministério garante manutenção do terminal da Petrobras no Porto de Cabedelo

Ministério garante manutenção do terminal da Petrobras no Porto de Cabedelo
A manutenção do terminal de distribuição de combustíveis da Petrobras instalado no Porto de Cabedelo foi garantida nesta quinta-feira (7), pelo Ministério de Minas e Energia por meio da diretoria de Abastecimento da Petrobras durante reunião com o coordenador da bancada federal paraibana, deputado Wilson Filho (PTB). Também ficou garantida a normalização da chegada de navios com o produto no Porto já a partir de hoje.

 

“Durante o encontro, sugeri uma outra reunião com a participação de toda a bancada paraibana e também com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, junto com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, para que, por escrito, tenhamos essa certeza de que o terminal da Petrobras ficará no Porto”, destacou o deputado.

 

De acordo com informações do diretor da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis do Ministério de Minas e Energia, Cláudio Akio Ishihara, o navio que estava previsto para chegar no sábado chegará ainda hoje ao Porto de Cabedelo. Ele disse que será o primeiro da retomada do fluxo normal que, a partir de agora, será monitorado por cronograma programado pelo Ministério.
 
“Foi esse o compromisso do Ministério de Minas e Energia junto com a Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Nesse período de emergência foi antecipado esse navio que está se somando ao transporte terrestre. Geralmente não existe transporte terrestre para distribuição de combustível, mas a BR Distribuidora fará essa distribuição saindo do Porto de Suape para a Paraíba. Isso vai ajudar a reorganizar o abastecimento dos postos em todo o Estado”, revelou Wilson Filho.
 

Causas para o desabastecimento – Durante a reunião, os diretores de Abastecimento da Petrobras explicaram que o desabastecimento na Paraíba foi causado primeiro por um aumento de 5% do consumo em relação ao ano anterior. Também foi verificada a redução de fornecimento pela refinaria de Cubatão que distribui combustível para a região Nordeste. A refinaria parou as atividades por alguns dias para manutenção que se estendeu mais do que deveria. 

 

A Direção de Abastecimento do Ministério de Minas e Energia informou também ao deputado paraibano que está existindo, por conta da crise na Petrobras, uma dificuldade de operação no Porto de Suape, que é quem primeiro recebe, na Região Nordeste, as cargas de combustíveis vindos da refinaria de Cubatão.
 
“Tudo isso somado provocou esse caos na distribuição de combustível na Paraíba somado a greve também no Porto de Suape que impossibilitou o transporte das cargas para navios menores que são enviados ao nosso Estado”, explicou Wilson Filho.
 
Segundo o diretor da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis do Ministério de Minas e Energia, Cláudio Akio Ishihara, o Porto de Cabedelo funciona como um final de linha e por isso, depende não apenas do combustível que sai da refinaria de Cubatão, mas também do fluxo de navios que saem do Porto de Suape. 
 
 
 
 

Assessoria