Ministério da Integração Nacional deve liberar R$ 19,5 milhões para adutoras e carros-pipa. Cidades do Vale devem ser atendidas

Ministério da Integração Nacional deve liberar R$ 19,5 milhões para adutoras e carros-pipa. Cidades do Vale devem ser atendidas

O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi informou ao deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) que ainda esta semana deve ser publicada no Diário Oficial da União a liberação de R$ 19,5 milhões para implantação de adutoras de engate rápido, bem como, de carros-pipa para diversos municípios paraibanos. 

Ao todo, serão R$10 milhões destinados para a liberação de carros-pipa e R$ 9,5 milhões para a implantação de adutoras de engate rápido solução emergencial considerada mais viável para atenuar os efeitos da seca em municípios que enfrentam um colapso hídrico.

Serão beneficiados com adutoras de engate rápido os municípios de Carrapateira (Açude Engenho Ávidos), Arara (Açude Camará), Areial (Açude Camará), Pilões (Açude Saulo Maia), Serra Redonda (Açude Sindô Ribeiro), Nova Floresta (Poços Tubulares), além de Itaporanga (Açude Cachoeira dos Alves), Pedra Branca, Nova Olinda (Barragem Saco) e Alagoa Grande.

A construção de uma adutora de engate rápido (feita de tubulações externas) para Itaporanga, por exemplo, trará água da barragem Saco (foto acima), localizada em Nova Olinda. Um solução de curto prazo que garantiria água não apenas para Itaporanga, mas também para Pedra Branca que ganharia um ramal. A barragem Saco tem capacidade para 98 milhões de metros cúbicos, mas está um volume de 25% desse total e fica a 22 km de distância de Itaporanga. 

O açude de Cachoeira dos Alves que abastece a cidade de Itaporanga tem capacidade de 17 milhões de metros cúbicos, mas sua construção totalizou apenas 10 milhões. Foi construído na década de 80 e não mais suporta a demanda de água da população, que era de cerca de 12 mil pessoas na época de sua construção, agora contabiliza mais de 25 mil habitantes. 

Além disso, a necessidade hídrica do parque industrial que está em plena expansão, da futura escola técnica e de outros equipamentos não poderá ser suprida com o açude que atualmente está com apenas 20% de sua capacidade.

 

 

 

Assessoria