Mineirinho sobra em sua bateria e vai às quartas. Medina faz aéreo e leva 10

Mineirinho sobra em sua bateria e vai às quartas. Medina faz aéreo e leva 10

O domingo começou com show brasileiro nas águas de Hossegor, na França. Primeiro, Adriano de Souza, o Mineirinho, sobrou em sua bateria contra Jeremy Flores e John John Florence e passou de fase com muita tranquilidade. Atual campeão do Circuito Mundial de Surfe, Gabriel Medina voou. Após um aéreo espetacular, recebeu a nota 10 dos juízes e encantou o público presente. Assim, ambos se classificaram para as quartas de final da etapa, que poderá acontecer a partir das 3h (de Brasília) desta segunda-feira, quando a Liga Mundial de Surfe (WSL) fará uma chamada para avaliar as condições do mar. Mineirinho encara o australiano Owen Wright (AUS), e Medina, o havaiano John John Florence. Quem também disputará vaga nas semifinais é o potiguar Italo Ferreira, que terá pela frente o australiano Julian Wilson. 

Mineirinho acompanha cada passo de Mick Fanning nessa etapa. Afinal, o australiano lidera a temporada com 44.700 pontos, enquanto o brasileiro tem 42.950 e está em segundo lugar. O vencedor da etapa de Hossegor leva 10.000 pontos, e o segundo colocado garante 8.000. Neste domingo, os dois mostraram que a briga pelo topo é acirrada e em altíssimo nível. O atleta da Austrália também foi bem em sua bateria e passou de fase.

- Eu estava observando as primeiras baterias do dia e sabia como seria a minha. Jeremy cresceu aqui, sabe tudo sobre o lugar. Tive que fazer meu melhor. Tenho muito respeito por Jeremy e por John John, mas estou muito feliz - disse Mineirinho.

Adriano de Souza foi o primeiro a se arriscar na bateria 3. Ele foi agressivo e veloz, com boas cortadas e, na hora de sair, se desequilibrou um pouco, mas conseguiu se manter de pé. Assim, foi agraciado com uma nota 9,57 dos juízes. John John fez apenas 6,77 em sua primeira tentativa, e Flores, 4,67. 

Mineirinho estava com tudo. Após uma onda mediana, ganhou 8,33 dos juízes, mas ainda trocou essa por um 8,93 na sequência. Assim, liderava com tranquilidade a bateria. O mar, nesse momento, estava mexido, inconstante. As boas ondas em sequência demoravam a aparecer. John John, que estava apagado, fez um aéreo bonito, caiu errado, mas conseguiu sair de pé. Mas a bateria era do brasileiro, que fechou com somatório de 18,50 contra 14,00 de Flores e 13,37 de Florence.

Adriano de Souza, o Mineirinho, vence em sua bateria (Foto:     Poullenot/Aquashot)Adriano de Souza, o Mineirinho, vence em sua bateria (Foto: Poullenot/Aquashot)

 

Se Mineirinho estava com tudo, Gabriel Medina estava ainda melhor. O campeão mundial teve uma performance excelente. Ele começou já partindo para cima e, assim que teve uma boa oportunidade, na segunda onda, apostou em um aéreo, completou a manobra de forma perfeita e saiu comemorando. Ganhou uma nota 10 e foi ovacionado. O paulista precisou sair da água e trocar sua prancha. 

Depois, ele conseguiu encantar mais uma vez com um 9,40. Mesmo com Owen Wright surfando muito bem também, Medina era mais dominante. Os dois são amigos e, em alguns momentos na água, apareceram batendo papo. O brasileiro ainda conseguiu trocar essa nota por uma 9,83, com uma rasgada incrível e demonstrando todo seu controle na água. Assim, chegou ao somatório de 19,83, contra 15,56 de Wright e 12,57 de Matt Wilkinson.

- Surfar com eles é normal para mim, porque ficamos na mesma casa, somos do mesmo time, é como se fosse mais um dia. Me senti ótimo e foi divertido. Eu me senti livre, só queria surfar e fazer meu melhor. Como sempre falo, treino muito, assim como fazia no ano passado. Agora não estou tendo que pensar em título mundial ou em nada mais, só surfar, acho que essa é a mudança (de 2014 para 2015) - relatou Gabriel Medina.

Gabriel medina encanta na França (Foto: © ASP/ Kirstin)Gabriel medina encanta na França (Foto: © ASP/ Kirstin)

 

A bateria 2 da quarta fase prometia desde o início. Afinal, tinha a fera Mick Fanning contra Bede Durbidge, que fez a melhor média do sábado, além de Italo Ferreira, nono colocado do ranking nesta sua temporada de estreia na elite. O líder do Circuito Mundial começou pegando uma onda veloz e finalizou bem, levando um 7,17. O atleta do Brasil deu o troco, mas ganhou apenas 6,30.

O melhor de Fanning, contudo, ainda estava por vir. Pegou uma onda que valeu 8,17. No meio da disputa, o mar, que até então estava um tanto quanto calmo, proporcionou uma boa sequência. Ele aproveitou e ganhou 8,50 dos juízes em uma boa performance. Fanning estava solto na água e saiu vitorioso com o somatório de 16,67 contra 15,43 de Durbidge e 13,73 de Italo.

Fanning consegue avançar às quartas (Foto:     Poullenot/Aquashot)Fanning consegue avançar às quartas (Foto: Poullenot/Aquashot)

 

Na bateria 1, Julian Wilson entrou com tudo na água, conseguindo executar bem suas manobras. Ele deu um aéreo, aterrissando de forma perfeita e foi aplaudido, ganhando um 8,50. Jadson André não estava conseguindo boas chances no início. Faltando 10 minutos para o término, ele teve sua melhor oportunidade, deu rasgadas velozes, mas não finalizou bem. Kolohe Andino, por sua vez, não encaixou seu melhor surfe. Assim, o australiano fechou com 17,37 contra 12,93 do brasileiro e 10,47 do americano.

Na repescagem, Italo Ferreira encarou Jadson André em um duelo brasileiro, vencendo com somatório de 16,23 contra 15,07. O jovem potiguar vai encarar Julian Wilson nas quartas. Bede Durbidge, da Austrália, fez 18,30 contra 10,20 de Kolohe Andino, dos Estados Unidos. Seu próximo rival será Mick Fanning. Jeremy Flores, da França, perdeu para o australiano Owen Wright, que cravou 18,50 contra seus 16,17. Wright encara Mineirinho. John John Florence despachou Matt Wilkinson, da Austrália, com 16,80 contra 14,87, e enfrenta Gabriel Medina.

BATERIAS DA QUARTA RODADA

1. Julian Wilson (AUS) 17,37 x Jadson André (BRA) 12,93 x Kolohe Andino (USA) 10,47
2. Italo Ferreira (BRA) 13,73 x Bede Durbridge (AUS) 15,43 x Mick Fanning (AUS) 16,67
3. Mineirinho (BRA) 18,50 x John John Florence(HAW) 14,00 x Jeremy Flores (FRA) 13,37
4. Gabriel Medina (BRA) 19,83 x Matt Wilkinson (AUS) 16,00 x Owen Wright (AUS) 15,56

BATERIAS DA REPESCAGEM

1. Jadson André (BRA) 15,07 x Italo Ferreira (BRA) 16,23
2. Bede Durbidge (AUS) 18,30 x Kolohe Andino (EUA) 10,20
3. Jeremy Flores (FRA) 16,17x 18,50 Owen Wright (AUS)
4. John John Florence (HAW) 16,80 x Matt Wilkinson (AUS) 14,87

BATERIAS DE QUARTAS DE FINAL

1. Julian Wilson (AUS) x Italo Ferreira (BRA)
2. Mick Fanning (AUS) x Bede Durbidge (AUS)
3. Adriano de Souza (BRA) x Jeremy Flores (FRA)
4. Gabriel Medina (BRA) x John John Florence (HAW)

 

 

Globo Esporte