Militante derruba Lula durante comício em Salvador

Militante derruba Lula durante comício em Salvador

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Siva (PT) afirmou durante comício na noite desta quarta-feira (3), no subúrbio de Salvador, que não permitirá que voltem ao poder "aqueles que não fizeram nada pelo Brasil em 500 anos". Após pedir votos para candidatos do estado e para que Dilma Rousseff, candidata à reeleição, permaneça como presidente, ele alertou os adversários de que estará vivo em 2018. Durante o discurso, Lula se abaixou para cumprimentar militantes e acabou se desequilibrando e caindo no palco. Ele levantou com ajuda de correligionários e continuou o comício normalmente.

 "Eles devem se preparar, porque eu vou estar vivo. Tudo que eles têm medo é saber que, a Dilma eleita, eles ficam dizendo: 'Dilma vai ser reeleita para ficar mais quatro anos e depois vem um tal de Lula e vai ficar mais quatro?' É muito cedo para a gente discutir, mas uma coisa eu digo para vocês: em 2018, eu vou estar com 72 anos. Enquanto eu tiver forças para brigar por esse país, eu não vou permitir que aqueles que não fizeram nada pelo Brasil em 500 anos voltem", disse.

Lula ainda destacou que quatro dos candidatos à Presidência são ou já foram do PT: Dilma Rousseff (PT), Luciana Genro (PSOL), Marina Silva (PSB) e Zé Maria (PSTU).

Sobre a disputa direta entre a candidata Dilma e Marina, Lula disse que está com a candidata petista porque, segundo afirmou, ela está mais preparada para lidar com o atual momento da economia brasileira.

"Eu queria pedir ao eleitor que, no dia 5 de outubro, não cometesse nenhum equívoco, e a gente elegesse a presidente Dilma Rousseff presidente do Brasil até 2018", declarou.

O ex-presidente disse que conhece Dilma e Marina há muito tempo, mas escolheu Dilma por julgar que ela tem mais condições de conduzir a economia.

"Por que eu escolhi a Dilma? Por uma razão muito simples, que eu queria que vocês compreendessem. Ontem, lá em São Bernardo, eu disse que quando eu escolhi a Dilma para ser candidata a presidente em 2010, nós estávamos numa crise econômica sem precedentes na história mundial", disse.

Segundo o ex-presidente, Dilma conseguiu cumprir a missão de manter os empregos e estabilizar a inflação em 6% ao ano. "Ninguém está crescendo mais que o Brasil, a não ser quatro países e que pertencem ao G20", completou.

 

G1