Mídia nacional volta a apontar nome de Aguinaldo como ministro de Dilma

Mídia nacional volta a apontar nome de Aguinaldo como ministro de Dilma
A Paraíba poderá ter, mais uma vez, um representante na equipe de governo da presidente da República, Dilma Rousseff (PT). É o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), que poderá ser alçado ao cargo de ministro da Integração Nacional. A informação foi postada, na última terça-feira (23), no blog do jornalista Gerson Camarrotti, que cobre os bastidores do Congresso Nacional para o G1 e Globo News e agora mais um veículo de repercussão nacional aponta o paraibano como favorito: trata-se do Exame.com que acredita que o filho de Enivaldo Ribeiro voltará ser ministro de Dilma;

Confira notícia na íntegra publicada na Exame.com:


A presidente Dilma Rousseff ainda precisa definir boa parte de sua equipe ministerial até a posse de seu segundo mandato, em 1º de janeiro. Ontem, Dilma confirmou 13 nomes que estarão à frente dos ministérios. Em novembro, ela já havia anunciado outros três, que farão parte da equipe econômica. Agora, falta definir 22 ministros. A presidente deve anunciar esses nomes no dia 29 de dezembro.


Veja a seguir os ministérios que ainda estão sem chefia para o próximo mandato e quais os nomes mais cotados para cada um deles. Comunicações – O ministério deve ser ocupado por Ricardo Berzoini, do PT, atual ministro de Relações Institucionais

 

Relações Institucionais – Se as previsões se concretizarem e Ricardo Berzoini deixar a pasta para assumir as Comunicações, o cargo deve ficar com Pepê Vargas, também do PT.



Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – O mais provável é que a pasta seja ocupada pelo senador Armando Monteiro (PTB). Integração Nacional – Outra pasta que deve servir para atender os partidos da base no Congresso. O cargo provavelmente ficará com o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP).



Transportes – A pasta deve permanecer com o PR, e o mais cotado é Antônio Carlos Rodrigues.



Casa Civil – O mais cotado para o cargo de ministro da Casa Civil é Aolizio Mercadante (PT). Mercadante já está à frente da pasta desde o início do ano.



Justiça – Outra pasta que deve permanecer com o mesmo ministro; José Eduardo Cardozo (PT) deve permanecer no cargo.



Meio Ambiente – A ministra Izabella Teixeira também deve continuar na chefia do Ministério do Meio Ambiente.



Direitos Humanos – A ministra Ideli Salvatti pode continuar no cargo. Outra aposta é que a deputada federal Maria do Rosário volte a assumir a pasta. Rosário foi ministra de Direitos Humanos no início de 2014. Há ainda a possiblidade de que assuma o cargo a atual ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci.



Cultura – Pasta ocupada pela senadora Marta Suplicy até o final de 2014, o Ministério da Cultura pode voltar para as mãos de Juca Ferreira. Ferreira já foi ministro e é o atual secretário de cultura da cidade de São Paulo.



Saúde – O atual ministro Arthur Chioro deve permanecer no cargo.



Secretaria-Geral da Presidência – A pasta foi ocupada por Gilberto Carvalho durante todo o primeiro mandato de Dilma. Agora, deve ser chefiada por Miguel Rossetto (PT), ex-ministro do Desenvolvimento Agrário.



Desenvolvimento Social – A ministra Tereza Campello deve permanecer no cargo



Trabalho – Atualmente é chefiado por Manoel Dias; para o próximo mandato está sem definição.



Previdência Social – Atualmente é chefiado por Garibaldi Alves (PMDB); para o próximo mandato está sem definição.



Relações Exteriores – Atualmente é chefiado por Luiz Alberto Figueiredo Machado; para o próximo mandato está sem definição.



Gabinete de Segurança Institucional – Atualmente é chefiado por José Elito Carvalho Siqueira; para o próximo mandato está sem definição.



Desenvolvimento Agrário – Atualmente é chefiado por Laudemir Müller; para o próximo mandato está sem definição.



Políticas para Mulheres – Atualmente é chefiada por Eleonora Menicucci (PT); para o próximo mandato está sem definição.



Assuntos Estratégicos – Atualmente é chefiada por Marcelo Côrtes Neri; para o próximo mandato está sem definição.



Comunicação Social – A secretaria atualmente é chefiada por Thomas Traumann; para o próximo mandato está sem definição.



Advocacia-Geral da União – Atualmente é chefiada por Luís Inácio Lucena Adams; para o próximo mandato está sem definição.

 


Redação