Menor detido com vídeo de execução postou foto do crime em rede social

Menor detido com vídeo de execução postou foto do crime em rede social

O adolescente de 16 anos suspeito de matar o vigia de carros Marcos Vinícius Caixeta, 18 anos, postou uma foto do crime em seu perfil no Facebook. A imagem onde ele aparece apontando uma arma para a vítima foi publicada na tarde da última segunda-feira (24), dois dias após crime e algumas horas antes de ele ser apreendido enquanto fazia manobras arriscadas em uma motocicleta em Goiânia. Ao ser detido, os policiais encontraram no seu celular um vídeo da execução do vigia de carros.

No perfil do suspeito, consta que a profissão dele é chefe na empresa "Cracolândia". Várias pessoas comentaram a foto. Uma delas aprova a atitude: "Safado tem que morrer". Outro rapaz critica o ato: "Pq [sic] vc fez isso (...) tu tem família".

O adolescente está detido na Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai). Os outros dois envolvidos ainda são procurados pela polícia. Ao delegado responsável pelo caso, Kleyton Manoel Dias, o menor afirmou já ter cometido outros dois homicídios.

"Ele disse que certa vez, quando estava passando férias na casa da avó, no Pará, matou uma pessoa, mas não deu muitos detalhes. Na mesma conversa, ele disse que em meados do ano passado estava usando drogas na Avenida 85, quando outro usuário se aproximou, houve uma briga e ele assassinou o rapaz a facadas", afirmou. A polícia apura se os dois casos são procedentes.

A frieza do suspeito impressionou até mesmo a polícia. "O comportamento dele é normal, frio, tranquilo. Chama bastante atenção o fato de uma pessoa tão jovem ter tanto desapego com a vida dessa forma. O que para gente às vezes é tragédia, para ele é uma coisa normal", descreve.

Última vítima
Marcos Vinícius, que era órfão e foi criado pela avó, Rosalina Dias Caixeta, de 72 anos, foi enterrado na quarta-feira (26). A idosa disse que o garoto era usuário de drogas e lamenta não ter conseguido livrá-lo do vício: "Tentava arrumar escola para ele, emprego, mas ele não gostava e começou a mexer com droga. Primeiro, maconha, mas a situação se complicou quando ele começou a usar crack, há uns três meses".

Ela contou que foi avisada da morte do neto por vizinhos. "Eles viram na televisão e vieram me contar. Fiquei desesperada, sem saber o que fazer", disse.

A avó contou que o pai de Marcos Vinícius morreu há 15 anos e a mãe, há 11. Em junho do ano passado, o irmão mais velho do jovem, de 21 anos, também morreu assassinado, com um tiro na cabeça, no Setor Urias Magalhães, em Goiânia.

No vídeo encontrado no celular do suspeito, Marcos Vinícius aparece em um carro com os três suspeitos. Eles zombam com a vítima: “Chegou sua hora. Olha a missão hoje".

Após atirar, o adolescente ainda pisa na cabeça da vítima. Outro criminoso se aproxima de Marcos e atira mais cinco vezes. O menor detido ainda diz: “Desgraçado, vai com Deus”.

Quando foi apreendido , o menor confessou o crime: "Eu que matei ele. O crime cobra caro. Enquanto uns matam, outros morrem”.

A vítima foi identificada na terça-feira (25), no Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis, onde estava até então como indigente. O corpo havia sido localizado em uma estrada de terra entre Leopoldo de Bulhões e Bonfinópolis por um morador da região que passava pelo local.


 

G1