Marcelo Melo vence em Viena e é primeiro brasileiro número 1 do tênis desde Guga

Marcelo Melo vence em Viena e é primeiro brasileiro número 1 do tênis desde Guga

Depois de 14 anos, o Brasil está de volta ao topo de um ranking mundial de tênis. Marcelo Melo, mineiro de 32 anos, vai se tornar o número um entre os duplistas na lista da Associação de Tenistas Profissionais por ter avançado às semifinais do ATP 500 de Viena, na Áustria, nesta sexta-feira. Com o feito, o mineiro de Belo Horizonte se junta a Guga como os únicos brasileiros na história a alcançar o topo.

Na última lista divulgada pela ATP, no começo da semana, Marcelo aparecia em terceiro lugar com 7.980 pontos, 500 atrás dos legendários irmãos Bob e Mike Bryan, até então líderes do ranking. Nesta sexta, pelas quartas de final em Viena, ao superar a parceria entre o romeno Horia Tecau e o holandês Jean-Julier Rojera, jogando ao lado do polonês Lukasz Kubot, por 2 sets a 0, com parciais de 7-6 e 6-4, Melo atingirá a pontuação necessária para ultrapassar os americanos. Nesta semana, fazendo dupla com Steve Johnson, Mike Bryan caiu na primeira rodada na Áustria. 

Bob e Mike Bryan já conquistaram 106 títulos juntos
AFP PHOTO
Bob e Mike Bryan já conquistaram 106 títulos juntos

Destronando lendas
Bob e Mike Bryan são considerados lendas vivas do tênis de duplas. Juntos, têm 106 títulos de ATP. Os americanos ocupam o primeiro lugar desde 18 de setembro de 2003. Nestes 12 anos, só foram ultrapassados apenas duas vezes. A primeira em 2004, pelo canadense Daniel Nestor e o caribenho Mark Knowles. Quatro anos depois, Nestor voltou a ser melhor do que os irmãos gêmeos, mas dessa vez na compania do sérvio Nenad Zimonjic.

Marcelo Melo será o primeiro a tirar os irmãos Bryan do topo da lista de forma individual, já que o brasileiro tem desempenho melhor do que seu parceiro habitual, o croata Ivan Dodig, atualmente o sexto melhor duplista do mundo. 

Seis parceiros em um ano
Melo tem um fator curioso: apenas neste ano foram seis parceiros diferentes no circuito. No primeiro torneio da temporada, na Austrália, fez dupla com o bielorrusso Max Mirniy. No Australian Open, retomou sua parceria habitual com Dodig, com quem disputou a maioria dos torneios. No Brasil Open e Rio Open, teve a companhia do austríaco Julian Knowle.

Marcelo também voltou a fazer dupla com Bruno Soares, seu parceiro de Copa Davis, disputando o Masters 1.000 de Miami. Os dois jogaram juntos entre 2010 e 2012 e venceram quatro títulos da ATP. 

Bruno Soares e Marcelo Melo jogaram por dois anos juntos
AP
Bruno Soares e Marcelo Melo jogaram por dois anos juntos

 

Ele disputou os dois últimos torneios ao lado do sul-africano Raven Klaasen, e no ATP 500 de Viena seu companheiro é o polonês Kubot. No ATP Finals de Londres, voltará a fazer dupla com Dodig, que está disputando torneios de nível Challenger na Europa para melhorar sua pontuação no ranking individual, sendo hoje o número 122 do mundo.

Marcelo já considera este como o melhor ano de sua carreira, em nível de jogo e resultados. E tem razão. Foram quatro títulos, o que só tinha acontecido em 2004, mas dessa vez o nível de importância é maior. Melo venceu seu primeiro Grand Slam, em Roland Garros, igualando novamente Guga, que ergueu a taça do torneio francês por três vezes: 1997, 2000 e 2001. 

Guga,  tri campeão de Roland Garros,  comemorou vitória de Melo no instagram.
Instagram/Reprodução
Guga, tri campeão de Roland Garros, comemorou vitória de Melo no instagram.

 

São 17 títulos desde que o mineiro começou a disputar o circuito profissional, em 1998. Ao que tudo indica, porém, a contagem não ficará por aí. Marcelo Melo ainda tem a chance de terminar o ano com mais dois troféus na estante: tanto o do ATP 500 de Viena como o do ATP Finals, em Londres.

IG