Maia diz que consultará líderes para marcar cassação de Eduardo Cunha

Maia diz que consultará líderes para marcar cassação de Eduardo Cunha

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira (4) que só irá marcar uma data para votar a cassação do mandato do deputado afastadoEduardo Cunha(PMDB-RJ) após um acordo com os líderes partidários.

 O processo de cassação de Cunha, que renunciou à presidência da Câmara há menos de um mês, ficou pronto para ser levado ao plenário antes do recesso de julho. São necessários 257 votos entre os 512 deputados em exercício para determinar a perda do mandato do deputado do PMDB, que foi alvo de um processo por quebra de decoro no Conselho de Ética.

Rodrigo Maia reiterou que a leitura do parecer aprovado no colegiado e que recomenda a cassação deverá ser feita na próxima segunda-feira (8). “O que nós temos que fazer é ler na próxima semana e os líderes organizarem com o presidente uma data para a gente votar isso. E, com essa data organizada, acho que todo mundo fica mais tranquilo”, afirmou.

Maia disse que a votação poderá ser ainda em agosto, mas desde que seja acordada com a maioria dos parlamentares. “Vamos organizar isso com o plenário com os líderes, porque eu acho que é o melhor caminho. Pode ser agosto, contanto que se construa com a maioria”, frisou.

 

A leitura do parecer no plenário deverá acelerar a votação final que pode culminar na perda do mandato do peemedebista, já que duas sessões após o ato, o caso passa a trancar a pauta de votações do plenário da Câmara, impedindo a apreciação de outras matérias.
Rodrigo Maia, entretanto, havia condicionado a análise do processo à votação do projeto da renegociação da dívida dos estados, que teve a votação adiada nesta semana e só deverá ser votado na segunda-feira.

 

 

 

G1