Mãe e filho são presos suspeitos de golpes em JP

Mãe e filho são presos suspeitos de golpes em JP
Policiais da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa realizaram, nessa quarta-feira (5) mais duas prisões de suspeitos de estelionato. O empresário Alan Medeiros da Costa Silva, 33 anos, dono da loja Modelar, localizada na Avenida Guarabira, no bairro de Manaíra, na zona leste da Capital, e a mãe dele, Ozenir Urtiga, 59 anos,  foram denunciados por mais de dez clientes pela prática criminosa de desvio de contratos de móveis projetados e não cumprimento de diversos contratos de serviços na grande João Pessoa. Só nos primeiros levantamentos realizados, a polícia descobriu que o empresário causou um prejuízo as vítimas superior a R$ 500 mil.
De acordo com as vítimas, Alan Medeiros, junto com a mãe e Lindimara Fernandes da Costa, sócia do empresário, celebraram diversos contratos para a fabricação de móveis projetados, com valores acima de R$ 30 mil. Para não levantar suspeitas eles apresentavam projetos e depois que os clientes aprovavam os serviços e pagavam os valores, eles começavam a dar desculpas quando eram questionados sobre a demora do início do trabalho. Segundos as vítimas, eles informavam que o material estava sendo providenciado e que os contratos seriam devidamente cumpridos para que os clientes acreditassem no cumprimento das negociações.
As desculpas frequentes chamaram atenção das vítimas, que passaram a buscar referências dos suspeitos e a trocar informações entre si. Com isso, elas descobriram que a empresa Modelar estaria praticando um grande golpe em João Pessoa, conseguindo desviar valores muito altos e que os sócios não estavam cumprindo os contratos firmados com os clientes. As vítimas também descobriram que o objetivo dos suspeitos era fugir do País. Isso ia dificultar qualquer investigação sobre eles e também o ressarcimento dos valores recebidos.
Em uma semana de investigação, a equipe da DDF ouviu várias vítimas e funcionários da empresa Modelar. “Confirmamos as denúncias e identificamos os três suspeitos. Foi descoberto, ainda, que a empresa Modelar estaria realmente de “mudança” e que todos os funcionários já tinham sido demitidos, de maneira que os suspeitos estariam objetivando efetivamente fugir para um lugar incerto, provavelmente para o exterior. Mas graças ao nosso trabalho de investigação conseguimos evitar e dar uma resposta para as vítimas que procuraram a Delegacia de Defraudações e Falsificações”, disse o delegado Lucas Sá.
O suspeito Alan Medeiros e a mãe dele Ozenir foram presos na casa onde moram no bairro de Cruz das Armas, na zona oeste da cidade. A terceira suspeita e sócia do empresário, Lindimara Fernandes, não foi localizada ainda. Durante as buscas realizadas na residência de Alan Medeiros, os agentes de investigação encontraram o passaporte do suspeito. O documento foi apreendido pela equipe e será encaminhado à Justiça, para evitar qualquer tentativa de fuga do investigado.
No levantamento realizado na ficha de antecedentes criminais dos suspeitos, os policiais descobriram indícios de que eles têm envolvimento com outras condutas criminosas, como fraudes em licitações públicas e negociação de veículos. O delegado Lucas Sá orienta que eventuais vítimas dos suspeitos compareçam à Delegacia de Defraudações e Falsificações, que fica na Central de Polícia, no Geisel, para que todas as denúncias sejam investigadas e o prejuízo reparado às vítimas. Os suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato, associação criminosa e tráfico de influência, podendo ser condenados a até treze anos de reclusão.
 
MaisPB