Mãe, pai e filha são eleitos para cargos públicos no Paraná

Mãe, pai e filha são eleitos para cargos públicos no Paraná

Os cidadãos paranaenses elegeram três pessoas da mesma família para ocupar cargos públicos. Cida Borghetti (Pros) foi eleita vice-governadora. O marido dela Ricardo Barros (PP) foi eleito deputado federal, e a filha Maria Victoria (PP) conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa, sendo, com 22 anos, a parlamentar mais jovem na próxima legislatura.

Com exceção de Maria Victória, que fará o primeiro mandato, Cida Borghetti e Ricardo Barros têm tradição política no Paraná. Ela chefiou o Escritório de Representação do Paraná em Brasília no primeiro governo de Jaime Lener, em 1998. Borghetti também foi deputada estadual duas vezes e atualmente ocupa uma cadeira na Câmara Federal. Já Barros foi eleito deputado federal em outras quatro oportunidades, assumindo agora o quinto mandato. Ele também foi prefeito de Maringá, no norte do Paraná, secretário municipal e também estadual no governo de Beto Richa (PSDB).

 

“Eu nasci na política, cresci na política. Eu me preparei ao longo do tempo para dar continuidade a essa boa política que eu aprendi em casa”, disse Maria Victoria.

Para o deputado eleito Ricardo Barros, que também menciona a vida política do pai, Silvio Magalhães Barros, a eleição de familiares não compromete a estrutura pública. Segundo ele, chega a ser benéfico. “Eu acho que compromete a favor, se você tem a possibilidade de eleger pessoas que conhecem a atividade, que tem tradição, expertise, é bom”, disse.

Barros caracteriza como natural os filhos de políticos procurarem a mesma carreira dos pais. “Assim como filho de médico se torna médico e toca a clínica do pai, o filho do advogado toca o escritório. Nas empresas a sucessão familiar é um capítulo muito estudado, é natural”.

Ele afirma ainda que fica feliz pela filha ter optado pela vida pública. "É uma atividade que exige muito da gente, que prejudica inclusive a relação familiar. Apesar de ela ter sentido a distância dos pais, durante o crescimento, por conta da nossa atividade, ela entende a importância da missão, e a gratidão em ajudar aqueles que precisam", declarou Barros.

Proposta para a Assembleia
A futura deputada estadual afirma que focará em questões educacionais. Uma das propostas, mencionou, é articular com os prefeitos a inclusão da língua inglesa no currículo escolar do ensino infantil.

Ao citar pesquisas universitárias, Maria Victoria defende a proposta e diz que quando a criança aprende duas línguas simultaneamente tem um desenvolvimento cerebral mais avançado. Para Maria Victoria, a renovação na Assembleia Legislativa do Paraná, com 21 novos deputados, sendo alguns de pouca idade, fará a diferença em prol do estado.

“Bancada de Herdeiros”
Além de Maria Victoria, outros deputados com sobrenome tradicional na política paranaense conquistaram uma vaga na Assembleia Legislativa. Juntos ele compõem a maior bancada da Casa, afinal, são 15. O PSC, partido que elegeu mais parlamentares, terá 12 representantes.

Se comparado à atual legislatura, o crescimento do número de herdeiros políticos com mandato é de 50%.  Dos atuais dez deputados que possuem antecessores com histórico político, sete conseguiram se reeleger, e houve a entrada de oito novos nomes – mas sobrenomes já conhecidos.

Dentre os que continuam na Alep estão:
Alexandre Curi (PMDB) – neto do ex-presidente da Alep, Aníbal Khury;
André Bueno (PDT) - filho do ex-deputado e atual prefeito de Cascavel, Edgar Bueno;
Anibelli Neto (PMDB) – filho do ex-deputado Antônio Martins Anibelli, e neto do também ex-parlamentar Antônio Anibelli;
Artagão Júnior (PMDB) – filho do ex-deputado e atual presidente do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, Artagão de Mattos Leão;
Bernardo Ribas Carli (PSDB) – filho do ex-prefeito de Guarapuava Luiz Fernando Ribas Carli, e irmão do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho;
Evandro Júnior (PSDB) – sobrinho do atual deputado estadual Hermas Brandão Filho, e neto do ex-presidente da Alep Hermas Brandão;
Pedro Lupion (DEM) – filho do deputado federal Abelardo Lupion.

Já os herdeiros novatos são:
Alexandre Guimarães (PSC) – filho do prefeito de Campo Largo, Affonso Guimarães;
Claudia Pereira (PSC) – esposa do ex-deputado estadual e atual prefeito e Foz do Iguaçu, Reni Pereira;
Felipe Francischini (SD) – filho do deputado federal Fernando Francischini;
Maria Victória (PP) – filha da deputada federal e vice-governadora eleita Cida Borghetti, e filha do deputado federal eleito Ricardo Barros;
Paulo Litro (PSDB) – filho da deputada estadual Rose Litro, e do ex-deputado estadual Luiz Litro;
Requião Filho (PMDB) – filho do senador e ex-governador do Paraná por três mandatos, Roberto Requião;
Tiago Amaral (PSB) – filho do ex-deputado e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Durval Amaral.


 

G1