Lula recebe apoio em frente ao seu prédio

Lula recebe apoio em frente ao seu prédio

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu apoio de militantes, na manhã deste domingo, em frente ao seu apartamento, em São Bernardo do Campo. Para agradecer às cercas de 400 pessoas — segundo a Polícia Militar — que se posicionam em frente a sua residência desde as 8h, o petista saiu de seu prédio, no início da tarde, para falar com o grupo. Ele deu alguns passos, tirou foto com manifestantes e voltou para dentro do edifício em poucos minutos, já que fora “engolido” por seus apoiadores.

O ato em solidariedade ao petista, organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, começou por volta das 8h. A expectativa dos organizadores era reunir entre mil e 1500 pessoas. Já a PM, que convocou um contingente entre 80 e 100 homens, estima que compareçam entre 600 e 800 manifestantes.

De acordo Geraldo Maranim, o Gegê, uma das lideranças do sindicato, a manifestação é pacífica, em desagravo a Lula.

— É um ato em solidariedade a ele, após o pedido de prisão, que é uma das coisas mais incabíveis na história do meio jurídico — disse Gegê.

O presidente do PT em São Bernardo do Campo, Brás Marinho, e o secretário municipal de Serviços Urbanos, Tarcisio Secoli, estiveram no apartamento de Lula por uma hora.

— Ele está para cima, feliz por conta da solidariedade não só aqui, mas no Brasil inteiro. Quem é inocente não deve nada, não tem nada a temer — disse Marinho.

Na sacada embaixo do apartamento de Lula, há uma bandeira do Brasil estendida. A União da Juventude Socialista (UJS) também colocou uma enorme faixa com os dizeres “Não vai ter golpe” na saída do estacionamento do prédio onde o ex-presidente mora.

Cerca de 30 jovens da UJS chegaram com instrumentos de percussão, em frente ao Hospital ABC, ao lado do prédio de Lula, gritando palavras de ordem como “Não vai ter golpe!” e “Lula guerreiro! Do povo brasileiro!”. Eles também improvisam paródias de funks cariocas como “Tô ficando atoladinha”: “Vai ‘impeachtmar‘ a Dilma? Não, não! Vou apoiar! Eu vou apoiar a Dilma (repete 3 vezes)! Calma, calma, burguesia!”.

Na Avenida Francisco Prestes Maia, que teve um trecho interditado para a manifestação, militantes seguram principalmente bandeiras da CUT, do PT em menor parte, e até do Brasil.

A cor predominante não é o vermelho do PT. Grande parte dos manifestantes usa uma camisa com a clássica foto de Lula fichado pelo Dops, com os dizeres “Lula vai responder por: Prouni, Reuni, Fies, Enem, Pronatec, Luz Para Todos, Cotas, Pró Jovem, Ciências Sem Fronteiras”, em referência aos programas sociais da sua gestão.

Duas faixas foram grafitadas com as frases “Lula é meu amigo: mexeu com ele, mexeu comigo” e “Juventude na luta com Lula”. Uma kombi do sindicato recolhe alimentos e doações para as vítimas das enchentes na Grande São Paulo, e um carro de som toca jingles de Lula e discursos do ex-presidente.

 

 

 

 

Oglobo