Lula diz que 'se necessário' entrará na disputa da eleição em 2018

Lula diz que 'se necessário' entrará na disputa da eleição em 2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (28), em entrevista para uma rádio de Montes Claros (MG) que, "se necessário", vai entrar na disputa das eleições em 2018. Ele deu a declaração após ser questionado se será candidato.

Lula respondeu que ainda não sabe se vai concorrer e acrescentou que, no caso de entrar na disputa, vai trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições.

"Não sei [se vou ser candidato]. Não posso dizer nem que sou nem que não sou. Sinceramente espero que tenha outras pessoas para serem candidatas. Agora, uma coisa pode ficar certa. Se a oposição pensa que vai ser candidata, que vai ganhar, que não vai ter disputa, que o PT está acabado, pode ficar certo o seguinte: que se for necessário, eu vou para a disputa e vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições", afirmou o ex-presidente.

 

Economia

Lula comentou também a economia do país. Ele disse que o governo cometeu erros e que a própria presidente os reconhece. Para Lula, a expectativa é que a situação comece a melhorar em 2016.

 

"Ela [Dilma] trabalha com a ideia de que nós vamos ter um 2015 sofrido, como nós estamos tendo, com dificuldades, mas na expectaiva de que nós vamos ter um 2016 que comece a melhorar", disse Lula.

 

Petrobras e PT
O ex-presidente também foi questionado sobre o escândalo de corrupção na Petrobras. Ele disse que não tinha conhecimento dos desvios na estatal e que "gostaria de ter sabido" do que ocorria.

 

"Eu até gostaria de ter sabido antes. Eu não sabia. A Polícia Federal não sabia. A imprensa não sabia. O Ministério Público não sabia. A direção da Petrobras não sabia. Só se ficou sabendo depois que houve um grampeamento e pegou o tal de Youssef, que já tinha muitas passagens pela polícia, falando com outros caras. Ninguém sabia", disse Lula.

Para ele, a Petrobras não pode ser julgada pelos erros de uma minoria de servidores.

"A Petrobras tem quase 86 mil trabalhadores. A gente não pode ficar julgando a Petrobras por causa de 1, 2 ou 10 pessoas que cometeram erro", afirmou o ex-presidente.

Ainda no tema corrupção, Lula analisou também o PT. Disse que o partido cometeu "desvios" e caiu no erro de ter "feito política igual aos outros partidos".

"O PT cometeu desvios porque começou a fazer política igual aos outros partidos políticos. O PT era para ser diferente de verdade", concluiu Lula.

 

 

 

G1