Lula, Dirceu e 50 milhões de euros ao PT em Macau

Lula, Dirceu e 50 milhões de euros ao PT em Macau

O Estadão repercutiu na manhã desta última segunda-feira(2), a reportagem do jornal português O Público sobre mais um escândalo envolvendo Lula e seu braço-direito, atualmente preso, José Dirceu.

Ambos participaram direta ou indiretamente de negociações que teriam rendido 50 milhões de euros de propina “ao grupo petista” em uma conta de Macau, em troca das autorizações políticas necessárias a um acordo de telecomunicações luso-brasileiro.

“A Polícia de Portugal está investigando pessoas próximas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, bem como ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses, num inquérito relacionado ao negócio fechado entre a operadora Oi e a Portugal Telecom (PT) em 2010. (…)

A suspeita é de que pagamentos teriam aberto as portas para que o acordo tivesse a autorização necessária da parte do estado brasileiro e agências reguladoras.

O dinheiro para essa autorização teria vindo de construtoras brasileiras, numa forma de quitar uma dívida que existia entre essas empresas e a Portugal Telecom, avaliado na época em 1,2 bilhão de euros.

O Ministério Público português confirmou ao Estado que existem duas investigações ocorrendo em paralelo e que a cooperação com o MP brasileiro tem sido ‘constante’.

Segundo o jornal, existe a suspeita de ‘pagamentos de várias dezenas de milhões de euros ao universo restrito do ex-presidente da República Lula da Silva, bem como a ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses.’

O dinheiro teria vindo de empresas como a construtora Andrade Gutierrez, ‘através de territórios como Angola e Venezuela’. (…)
Segundo o jornal Público, o inquérito afeta ‘a abrangência dos contatos que se estabeleceram entre os círculos próximos do ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e os do ex-primeiro-ministro José Sócrates’. (…)

Segundo a revista Sol, também de Portugal, documentos com anotações ‘Portugal Telecom’ foram encontrados na casa de Luís Oliveira Silva, sócio e irmão de José Dirceu.”

Mário Soares, ex-presidente do Portugal que teria sido contratado para aproximar os empresários a Lula, procurou o escritório de advocacia LSF & Associados, ligado a Dirceu, segundo o Público.

“A empresa portuguesa teria sido informada de que o ‘negócio com a Oi está condicionado à entrega ao grupo petista de 50 milhões de euros, verba que deve ser movimentada por uma conta em Macau. Sem pagamento, não haverá parceria”.

A partir desse momento, as conversas entre Lula e Sócrates teriam se intensificado.”

O Público conclui:

“As autoridades suspeitam agora de eventuais verbas ilícitas entregues ao grupo de Lula da Silva e a políticos e gestores portugueses. E os indícios apontam para uma origem na parcela de 1,2 bilhão, com o Ministério Público a querer saber quem deixou a sua assinatura.”

Comento:

O governo do PT, portanto, está envolvido nos mais diversos tipos de venda, como, por exemplo:

– venda de autorizações políticas para acordo entre empresas de telecomunicações;
– venda de medidas provisórias para beneficiar montadoras de veículos;

– venda de ministérios para salvar Dilma Rousseff do impeachment.
É mesmo um governo vendido. 

 

 

 

 

Fonte: Veja