Lula defende demissão de Levy e ‘política de não agressão’ a Cunha

Lula defende demissão de Levy e ‘política de não agressão’ a Cunha

O ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, se reuniu com petistas nesta quinta-feira (15) e defendeu a demissão do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, segundo informações da Folha de S. Paulo.

Anteriormente, o ex-presidente já reclamou dos acenos feitos por Levy ao mercado, pontuando que os mesmos desagradavam a militância do partido. De acordo com a publicação, os deputados presentes na reunião teriam se comprometido com Lula a passar a criticar o ministro publicamente e defender mudanças na condução da economia do país.

Além disso, Lula pediu que os parlamentares da legenda sigam a orientação do Planalto, adotem a tática de não agressão contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e parem de “fazer disputa política pelos jornais”.

Para o ex-presidente, o PT precisa se concentrar em “cuidar de suas incompetências”, que incluem a formação da maioria no Congresso para aprovar projetos do governo e tentar evitar qualquer tentativa de impedimento da presidente Dilma Rousseff.

Após a reunião, o Instituto Lula divulgou nota negando que o ex-presidente participe ou estimule articulações para “proteger” Cunha. Seis dos 15 deputados reunidos com Lula assinaram o pedido de cassação do mandato do líder da Câmara.

 

 

 

Folha