Luiz Couto atende a padres e apela por solução para violência no Vale do Piancó

Luiz Couto atende a padres e apela por solução para violência no Vale do Piancó
 O deputado federal padre Luiz Couto (PT) fez um apelo na Câmara Federal terça-feira, 8, em nome dos padres do Zonal de Itaporanga, pertencentes à Diocese de Cajazeiras, no Vale do Piancó na Paraíba. Os religiosos encaminharam a Couto uma carta na qual relatam o aumento da violência na região e cobram providências dos governos municipal, estadual e federal. 
 
Mais do que reforçar o grito por mais segurança, o deputado federal petista encaminhou ao Governo do Estado da Paraíba e ao Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Estado, um ofício pedindo providências às denuncias formalizadas através das queixas apresentadas pelos padres.
“Estou empenhado ao máximo para que a população daquela região tenha a devida proteção à vida. Como já dizia o Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, em 2002, Sérgio Vieira de Mello: “Um ser humano tem o direito de viver com dignidade, igualdade e segurança. Não pode haver segurança sem uma paz verdadeira, e a paz precisa ser construída sobre a base firme dos direitos humanos”.
 
A nota, cujo título é “O clamor do povo chegou aos nossos ouvidos” é assinada pelos padres Dácio José (Conceição, Ibiara e Santa Inês), Humberto e Diácono Anderson Braga (Conceição), Josenildo Abrante (Santana de Mangueira),  Damião Pereira (Diamante e Curral Velho),  Isaías Vieira (Boa ventura), Djacy Brasileiro (Pedra Branca), Cláudio Praxedes, Quirino P. Cirilo (Itaporanga), Antônio Sérgio (Aguiar e Igaracy), e Manoel P. Costa (Caiana e Serra Grande).
 
Discurso de Jesus – Em seu pronunciamento, Luiz Couto também registrou o imaginário discurso de Jesus no Congresso Nacional, criado pelo Padre Djacy Brasileiro. No texto, o padre sertanejo narra que o filho de Deus se perderia nos corredores e seria obrigado a vestir terno e gravata para não quebrar o decoro parlamentar.
 
Em sua fala, Jesus condenaria as regalias dos deputados e senadores e a maneira ditatorial com que o presidente da Casa conduz aquele poder. Além disso, alertaria para a necessidade de legislar em favor do povo e respeitando os preceitos religiosos: “São muitos os que dizem católicos, rezam e recebem a Eucaristia, mas andam na contramão da Igreja no Brasil, quando aprovam vergonhosamente a redução da maioridade penal. Isso é um prova cabal que vocês não dão a devida atenção às posições da CNBB. Por que não abandonam logo a Igreja? Vocês são contraditórios”, afirma o padre Djacy em seu texto.
 
 
 
 
 
 
Fonte: RP