Livre do caso Confraria, Cícero diz que mantém postulação ao senado e desconversa sobre imbróglio com PSDB

Livre do caso Confraria, Cícero diz que mantém postulação ao senado e desconversa sobre imbróglio com PSDB

As ações por parte da Operação Confraria foram arquivadas pela juíza Cristina Garcês e as pessoas que estavam supostamente envolvidas no caso, incluindo o senador Cícero Lucena (PSDB) foram inocentadas.

Em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, desta quinta (5), o senador comentou que está em um dos momentos mais felizes de sua vida, já que está ‘resgatando a imagem, não de homem público, mas de pai de família, avô e cidadão que durante tanto tempo sofreu com essa espada’.

Lucena afirmou que gostaria que essa decisão não tivesse demorado tanto (o processo começou em 2005), mas que o primeiro gesto que fez foi agradecer a deus.

“Como homem público no momento que isso ocorreu talvez 25% das pessoas acreditavam que eu era inocente. Consideraram que eu era culpado e gostaria de ter a verdade esclarecida. Chegou o momento. Agradeço a Deus com sentimento de perdão, perdôo aqueles que eventualmente tenham contribuído de forma direta ou indireta para esse período tão longo”, diz.

O senador afirmou que com a notícia a respeito da Confraria, não teve ‘cabeça’ para outra ocupação além dessa e afirmou que não pensou no imbróglio do PSDB em relação a sua postulação pela reeleição ao senado. “Não nasci no senado, nem na Câmara Federal e o que está sendo resgatado é minha dignidade”, conta. Quanto a candidatura, o senador afirmou que o prazo final é só em 30 de junho e que mantém a posição de colocar seu nome para a disputa.

Lucena desconversou quando perguntado sobre se poderia se lançar à deputado federal e afirmou que só depois da decisão do partido, tomará a sua, mas ‘bastante leve’ pelo que aconteceu agora, com o arquivamento do caso. 


Marília Domingues