Lira não crê em mudança de votos no processo do impeachment

Lira não crê em mudança de votos no processo do impeachment

O Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) garantiu que o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), já iniciado pelo Senado Federal, é “plenamente democrático” e a consagração de um trabalho que cumpriu rigorosamente a Constituição Federal e o Regimento Interno do Senado.

Ele disse não acreditar em mudança de voto dos senadores nessa fase final do processo. Na sua opinião, os 59 votos favoráveis à pronúncia da presidente afastada devem se repetir no julgamento final.

“Eu não acredito em mudança de convicção de qualquer senador.  A minha expectativa e a minha convicção é de que, ao longo desses mais de 100 dias, houve uma formação da convicção de todos os senadores e senadoras em relação ao seu voto. Foram 59 votos na Pronúncia e eu não acredito em um número inferior a esse no julgamento final”, disse o paraibano.

Raimundo Lira reafirmou a existência de um acordo para que questões de ordem não se repitam durante a sessão, evitando, assim, que o processo se alongue.

“A priori não pode haver repetição de questão de ordem já resolvida no funcionamento normal do Senado Federal. Imagine de um julgamento da importância política histórica como o que está sendo o processo de afastamento da presidente da República” observou.

Lira foi presidente da Comissão Especial do Impeachment que funcionou de abril a agosto, e que aprovou os pareceres pela admissibilidade e pela pronúncia, que levaram à realização do julgamento.

 

 

MaisPB